VÍDEO: Bolsonaro admite que covid mata, detona vacina e diz que morre quem não toma medicamento

Bolsonaro dá entrevista à Jovem Pan
Bolsonaro em entrevista à Jovem Pan

Depois de defender o tratamento precoce, e dizer que tomou cloroquina na ONU, Bolsonaro voltou a condenar a vacinação contra o coronavírus. Ele também se disse a favor de medicamentos contraindicados para a doença.

Foi numa entrevista no Direto ao Ponto, da Jovem Pan, com os jornalistas Augusto Nunes, José Maria Trindade e Guilherme Fiúza.

Leia mais: Advogada diz que Prevent Senior atuou em conluio com o Ministério da Economia

Bolsonaro disse que a OMS não apoia o passaporte sanitário, alegando se tratar de uma forma de controlar a população.
“Se o cara que não tomou vacina vai ser prejuicado, deixa ele ser prejudicado”, argumentou o presidente, sem considerar que a pessoa não imunizada pode infectar interlocutores.
“Passaporte antivacina é um crime”, disse Bolsonaro, lembrando que o vírus ainda é “uma grande interrogação”.

Vírus mata

O mandatário admitiu que o vírus mata, mas alertou que isso acontece com “quem não está bem fisicamente e não tomou medicamento”, numa clara alusão às drogas sem comprovação científica e que estão sendo alvo de investigação na CPI da Covid.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!