VÍDEO: Bolsonaro ameaça STF após Cármen Lúcia pedir julgamento de queixa por genocídio

Bolsonaro diz que “estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil”. Foto: Reprodução

Após a ministra Cármen Lúcia pedir ao presidente do STF, Luiz Fux, pautar o julgamento de Jair Bolsonaro por genocídio, o presidente confrontou e ameaçou a Corte:

“Daqui a pouco vamos ter uma crise enorme aqui. (…) Não quero brigar com ninguém, mas estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil”.

Apesar da ameaça velada, Bolsonaro disse que não estava “ameaçando ninguém”, mas citou que a crise com o Supremo está parecendo “um barril de pólvora”.

“Estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil. Parece que é um barril de pólvora que está ai. Tem gente de paletó e gravata que não está enxergando isso ai”, prosseguiu.

O presidente, sem dar detalhes, afirmou que aguarda “sinalização”:

“O pessoal fala que eu preciso tomar uma providência. Eu tô aguardando o povo dar uma sinalização”.

Nesta terça (13), a ministra pediu que fosse agendado o julgamento de uma notícia-crime contra Bolsonaro por suspeita de genocídio contra indígenas na pandemia.

O objetivo é julgar se a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve abrir ou não um inquérito para investigar o presidente por sua conduta ao vetar trecho de lei para assistência a indígenas.

Em cinco dias, essa é a terceira ofensiva do presidente contra a Corte.

Na última sexta (9), Bolsonaro declarou guerra ao ministro Barroso por determinar que o Senado Federal crie a CPI da Covid.

Ele afirmou que a medida era “politicalha” e “ativismo judicial”, e acusou o magistrado de fazer “jogadinha casada” com a esquerda na Casa “para desgastar o governo”.

No último fim de semana, ele pediu ao senador Jorge Kajuru que entrasse com pedidos de impeachment contra ministros da Corte:

“Tem que tensionar o Supremo para botar em pauta o impeachment dos ministros”.