VÍDEO – Galvão Bueno diz que a realização da Copa América é uma loucura e deveria ser cancelada

Na abertura do “Bem, Amigos”, do Sport TV, nesta segunda-feira (31), o narrador Galvão Bueno criticou a realização da Copa América no Brasil, anunciada hoje pela Conmebol.

Hoje mais cedo, o Ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, disse que a competição ainda não está confirmada.

Sem medo de se posicionar, Galvão apontou a realização da Copa América como um “confronto político”. Ele disse torcer para que “alguém tenha uma crise de bom senso e que essa loucura não aconteça”.

O narrador estendeu suas críticas à realização de nova rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo neste momento. Galvão comandará a transmissão do jogo contra o Equador, sexta-feira, na Globo.

“Quem me conhece bem sabe que eu não tenho medo de dar a minha opinião, e acho que é um direito de todos concordar ou não comigo. A Globo e o SporTV, no ano passado, não tinham os direitos da Libertadores, e eu fui contra a volta precipitada da Liberadores, mas nós temos os direitos do Campeonato Brasileiro, só que eu também fui contra a volta do futebol no Brasil quando ele voltou. Aqui, lutamos com todas as nossas forças e possibilidades para que se atrasasse um pouco a volta do futebol brasileiro. Eu não vou ser falso e mentir aqui, eu estou feliz e emocionado em poder voltar a narrar um jogo da seleção brasileira. Estou feliz poque a última vez que narrei um jogo de seleção brasileira foi em novembro de 2019, um Brasil e Argentina. Mas eu confesso que gostaria de esperar mais um pouco, porque não precisava ser agora. Eu dou sempre a minha opinião. Os direitos são nossos, mas eu acho que não precisava ser agora. Por que eu digo que poderia ser um pouquinho mais para frente? Porque a terceira onda da covid-19 está batendo à nossa porta. Já são mais de 465 mil mortes no Brasil. Não sabemos onde isso vai parar”, iniciou Galvão.

“Eis que na calada da noite, a Conmebol, na impossibilidade de realizar a Copa América na Argentina, por causa da covid e de decisões do governo argentino, a Conmebol liga para a CBF e sugere que a competição seja no Brasil. O que a CBF faz? Ela fala sim e consulta o Governo Federal. O que o Governo Federal faz? Aceita prontamente, sem reflexão, sem discussão, sem pensar no quão delicado é aceitar essa missão”, seguiu o narrador.

“É muito mais do que isso. São jornalistas do mundo inteiro, são dirigentes, o pessoal que vai trabalhar nos estádios, é gente que pode contaminar ou ser contaminada, que pode trazer ou levar uma sepa nova. Sabe quando é isso? Daqui menos de duas semanas. Parou por aí? Não. Tem o staff da Conmebol, tem o staff da CBF, tem o staff do executivo federal e do nosso presidente. O que era para ser um evento esportivo começa e me parecer que virou um confronto político. Quem corre o risco? É sua saúde, a nossa saúde, é a saúde pública da América. Sinceramente, eu peço a Deus que alguém tenha uma crise de bom senso e que essa loucura não aconteça”, encerrou.

Veja abaixo:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!