Advogado bolsonarista condenado em ação de Felipe Neto quis R$ 50 mil do DCM para “entregar” Allan dos Santos

Mizael Izidoro Bello, Felipe Neto e Allan dos Santos. Foto: Reprodução/YouTube/Twitter

O advogado criminalista Mizael Izidoro Bello, declaradamente bolsonarista, foi condenado a cinco meses de prisão no processo movido por Felipe Neto pelos crimes de injúria e difamação.

A informação, publicada pelo jornal O Globo em 4 de março de 2021, é que Izidoro chamou Neto de “crápula” e tentou associá-lo ao massacre da escola em Suzano de março de 2019.

Uma busca na ferramenta Wayback Machine permite encontrar mensagens que o advogado Izidoro tirou do ar no Twitter.

Em 9 de junho de 2020 ele escreveu o seguinte sobre o youtuber:

“1) Um pouquinho do que vem por aí sobre o crápula do Felipe Neto (MANTENHA SEUS FILHOS LONGE DELE!).

2) Apenas para dar um feedback, ainda que mínimo. Vocês sabem pq Felipe Neto me teme? Pq ele sabe que eu sei o que sei e tenho provas.

3) Talvez vocês não se lembram, mas ele fez um vídeo para seu público (composto qse que majoritariamente de crianças e adolescentes) chamado ‘O Pedófilo’.

4) Nesse vídeo ele orienta que seu público, como dito, composto qse q só por menores, a entrar nos chamados ‘Chans’ que são, em resumo, o esgoto da podridão humana on-line. Imagens e vídeos pedo, mortes, pessoas decepadas, é coisa, digamos, ‘soft’ perto do td q é encontrado lá.

5) Eu sou criminalista. Já vi do pior do mundo. Mas não como aquilo. E ele diz para seu público entrar todo dia, acessar sem parar, e td mais.

6) Felipe Neto SABE que eu já mandei isso tudo para o Congresso e para ministra @DamaresAlves. Mas o pior está por vir.

7) Lembram do atentado da escola de Suzano? Os assassinos mataram oito pessoas (e se mataram), ferindo outras 11.

8) Segundo noticiado, eles nunca tinham ouvido falado do tais chans, que conheceram por indicação de Felipe Neto. E, uma vez lá dentro, aprenderam tudo e teriam sido incentivados, por terroristas, a cometerem esse horrendo massacre.

9) Você vai mesmo deixar que seu filho continue a ser ‘educado’ por Felipe Neto? E isso, meus amigos, é uma MÍSERA parte do todo”.

Mensagens de Mizael associando Felipe Neto com o massacre de Suzano. Foto: Reprodução/Twitter

As mensagens foram todas retiradas do ar após decisão judicial. Mas essa não é a única história curiosa do advogado bolsonarista. Mizael Izidoro tem um caso no mínimo controverso que envolve o DCM.

Reportagens sobre o gabinete do ódio e as milícias bolsonaristas

O Diário do Centro do Mundo publica, desde 2020, reportagens exclusivas sobre o gabinete do ódio e as milícias bolsonaristas a partir de fontes que pedem anonimato e um documento de 124 páginas que foi enviado à CPMI das Fake News.

Uma personagem que surgiu na reportagem “Dossiê sobre o gabinete do ódio liga youtuber a Jair Bolsonaro e a perfil investigado pelo STF“, de 28 de maio do ano passado, é a influenciadora Teff Ferrari. Ela se aproximou de Bolsonaro em reuniões em Brasília e tinha conexões com atores do gabinete e com o site Terça Livre.

Teff Ferrari e seu “Birolindo” Bolsonaro. Foto: Reprodução/Instagram

No dia 12 de agosto de 2020, o DCM noticiou que Teff Ferrari ganhou cargo público como assessora da deputada Carla Zambelli (PSL-SP). Depois de um dia, o Diário publicou que Teff solicitou e recebeu pelo menos quatro parcelas do auxílio emergencial. Por fim, o DCM publicou um importante artigo sobre a influenciadora e youtuber no dia 1º de setembro de 2020.

Teff Ferrari expôs no Twitter o relacionamento com o youtuber Mauro Fagundes, que era casado na época. Mauro é um produtor de conteúdo que cresceu no cenário bolsonarista atacando Nando Moura. Ganhou um encontro com o presidente graças ao seu desempenho no YouTube. Ele e Teff se relacionaram como amantes e ela o acusou de tê-la agredida.

A publicação das reportagens do DCM provocou a demissão de Teff do gabinete de Carla Zambelli, além do rompimento dela com o Terça Livre, que saiu em defesa de Mauro Fagundes. Magoada, ela entrou em contato com a reportagem do Diário em 3 de setembro de 2020. Isso foi possível graças a contatos em comum.

O DCM queria ouvir o lado dela da história. E fomos então apresentados ao personagem do começo desta reportagem: Mizael Izidoro. Advogado de Teff Ferrari. E novo namorado dela.

Um voo de Brasília para São Paulo e um café próximo da Avenida Paulista

Mizael Izidoro Bello. Foto: Reprodução/Twitter

Teff conversou com a reportagem do DCM por teleconferência no dia 3. Disse que estava “do mesmo lado do DCM”. Contou que passou por todos os veículos bolsonaristas de comunicação e que foi traída por Allan dos Santos e o Terça Livre.

Disse que não teve apoio de Carla Zambelli, sua ex-chefe, e nem de outros parlamentares fiéis ao presidente. Estava disposta a contar o que sabia, porque foi muito prejudicada pelas reportagens.

Ela estava em região próxima de Brasília, mas não revelou sua localização exata. Alegou que estava de passagem por São Paulo e que toparia conversar pessoalmente com o repórter do DCM. O encontro aconteceu na tarde do dia 5 de setembro, em uma cafeteria próxima da Avenida Paulista.

Acompanhada por Mizael Izidoro, ela afirmou que os textos do DCM tiraram seu emprego e a fizeram perder os amigos. Teff impôs que a conversa não fosse gravada e perguntou quem eram as fontes do Diário do Centro do Mundo. Sem respostas, ela disse também que não entendia como a mídia de esquerda conseguia tanta repercussão na imprensa tradicional.

A reportagem do DCM perguntou o que ela queria falar. Teff Ferrari disse que queria denunciar Mauro Fagundes por agressões físicas e que tinha mais provas além do BO que abriu contra o youtuber. E prometeu entregar nomes da extrema direita que a abandonaram.

“Posso entregar, sim, o Allan dos Santos e o Terça Livre”, relatou.

Afirmou que Allan possuía um contato direto por WhatsApp com deputados próximos do presidente da República, incluindo Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), a própria Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF).

Disse que estava pensando em processar o DCM, mas que isso poderia mudar com essas novas reportagens “de acordo com algumas condições”. Terminamos o café prometendo que continuaríamos a conversa depois que ela apresentasse sua proposta.

O email cobrando R$ 50 mil do Diário do Centro do Mundo

O advogado Mizael Izidoro Bello, que já estava fazendo as intermediações nos contatos via WhatsApp, enviou um email no dia 8 de setembro afirmando o seguinte:

“Boa tarde Sr. Pedro Zambarda,

Segue anexa a minuta com os termos da proposta de composição pré-processual conforme combinado.

Caso haja quaisquer dúvidas, entre em contato”.

A correspondência trazia um documento propondo o seguinte.

Mizael Izidoro entraria com um processo por difamação, calúnia e danos a Teff Ferrari por ter perdido seu emprego como assessora parlamentar de Zambelli. O advogado pediu R$ 196 mil de indenização e propôs: “Para evitar toda a celeuma e colocar de lado as diferenças entre as partes até esta data, oferecemos a proposta de conciliação no valor de R$ 50 mil e, além do valor pago, solicitamos a retirada ou alteração de algumas matérias, em datas e formas que atendam ao melhor interesse”.

Era uma proposta, portanto, de que o DCM pagasse R$ 50 mil para mexer em reportagens já publicadas e receber novas informações de Teff Ferrari.

A reportagem ainda tentou um diálogo com Teff sem responder à proposta do advogado. No dia 15 de setembro de 2020, explicamos que o DCM queria fazer uma reportagem para contar a história dela, o que ela quisesse denunciar, com documentos e provas.

Teff Ferrari respondeu: “Toda colaboração será feita após o acordo firmado”.

O último contato do DCM com Teff Ferrari. Foto: Reprodução
O último contato do DCM com Teff Ferrari. Foto: Reprodução

Ataques pelo Twitter

Sem sucesso na negociação em conversa direta com o DCM, Mizael Izidoro resolveu atacar o repórter Pedro Zambarda e o diretor do DCM, Kiko Nogueira, publicando pedaços de um processo que supostamente ele abriu contra o site. Neste mês tornou-se público que ele foi condenado a cinco meses de prisão no processo movido por Felipe Neto.

Izidoro postou nesta quinta (4) no Twitter:

“Descobri hoje que estou sendo processado pelo Felipe Neto e houve condenação indevida. Tudo feito para tentar me parar. Cada denúncia que apresentei contra o sujeito foi ACEITA e ele pode ser condenado a alguns bons anos de prisão. Diferente de muitos políticos, não me acovardo”.

Um internauta atento respondeu: “Descobriu hoje um processo que pode te jogar na cadeia? Que tipo de advogado é você? Mano, procura um psiquiatra, seu caso é de internação!”

Em julho de 2020, Allan dos Santos fugiu do Brasil e passou a atuar dos Estados Unidos com o Terça Livre. Após a derrota de Donald Trump para Joe Biden, o YouTube tirou seus dois canais do ar por violações dentro da plataforma.

Teff Ferrari deixou de atuar no Twitter como influenciadora de extrema direita e faz postagens sobre psicologia, sua formação original.