Ex-homem forte de Pazuello, Cascavel é investigado por suspeita de abusar da neta

Airton Cascavel
Airton Cascavel. Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

Airton Cascavel é investigado por suspeita de abusar sexualmente da própria neta. Ele é ex-secretário de Saúde de Roraima e ex-homem forte de Pazuello. Um boletim de ocorrência foi registrado no último dia 15 e a mãe da criança alega que o crime teria ocorrido entre os dias 12 e 13.

A criança havia ido visitar a casa do pai e do avô paterno, segundo o site O Poder. Ao voltar para casa, a criança relatou dores na região íntima. Questiona sobre o que ocorreu, ela contou que o avô, Cascavel, pegou na região e a machucou. A mãe “suspeita que sua filha tenha sofrido abuso sexual por parte do avô paterno”, diz trecho do documento.

Por conta das dores, a criança foi levada ao Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA) para atendimento médico. A mãe também pediu que a filha seja submetida ao exame do corpo de delito. O caso está no Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente da Polícia Civil de Roraima. O órgão investiga outro caso de abuso envolvendo Cascavel.

Leia também:

1 – Renan Santos, cofundador do MBL, é acusado por modelo de tentativa de estupro; mulher se retratou

2 – Juíza nega aborto legal para menina vítima de estupro e teria exposto sentença no WhatsApp

Cascavel também responde por suspeita de estuprar adolescente de 13 anos

Na época que era secretário estadual de Saúde de Roraima, após passar pelo ministério da Saúde, Airton Cascavel, já estava respondendo a um inquérito policial. A investigação começou em janeiro de 2019 por suspeita de estuprar uma adolescente de 13 anos.

Esse crime, de acordo com denúncia da vítima, ocorreu numa chácara localizada no Monte Cristo, zona rural de Boa Vista. No depoimento, a adolescente relatou que estava na chácara onde moram o avô e o pai. Ao acordar, se dirigiu à piscina, a 200 metros da casa, para usar a internet pelo celular, quando foi abordada pelo suspeito.

Ao notar que a garota estava com os “lábios manchados”, Cascavel, ainda segundo relatos da vítima, quis saber o que havia acontecido e passou os dedos em seus lábios. Ela explicou que a mancha foi causada pela exposição ao sol após “chupar limão com sal”. Ainda conforme o depoimento da adolescente, após responder a Airton Cascavel, ele segurou o seu queixo e passou a língua em seus lábios. Assustada, ela se afastou e perguntou se ele estava “doido”.

Em seu depoimento, Airton Cascavel afirmou que, ao ver uma espuma branca na boca da garota, quis apenas confirmar se a história contada por ela procedia ou se a mancha teria sido causada pelo uso de entorpecente. De acordo com ele, há registros de uso de drogas em alguns integrantes da família da suposta vítima.

Para ele, trata-se de uma acusação com interesses políticos, uma vez que o caso foi levado de “forma criminosa” à Assembleia Legislativa pelo deputado Renan Bekel, e teria também como objetivo atender “interesses obscuros” da mãe da adolescente.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!