Aras é criticado por Alexandre de Moraes por causa da CPI da Covid

Aras criticado Alexandre de Moraes
Alexandre de Moraes criticou Aras

O ministro do STF Alexandre de Moraes criticou o trabalho feito pelo procurador-geral da República Augusto Aras em relação aos casos da CPI da Covid. O magistrado da Suprema Corte ordenou a abertura de inquérito contra Jair Bolsonaro. O presidente associou falsamente a vacinação contra o coronavírus com o aumento de chance de contrair o vírus HIV.

A crítica de Moraes tem a ver com uma petição apresentada ao Supremo pela CPI. Os senadores solicitaram a quebra do sigilo dos perfis do governante do executivo federal. E também a suspensão das redes sociais após a propagação de informações mentirosas contra os imunizantes.

Aras pediu o arquivamento. Segundo o PGR, já havia tido uma investigação preliminar sobre o assunto. O ministro do STF disse que a ação “não se revela consonante com a ordem constitucional vigente”.

O ministro ainda falou que não basta apenas a “mera alegação de que os fatos já estão sendo apurados internamente”. Porém, é necessária a supervisão judicial sobre o andamento do episódio. Com a apresentação de análises iniciais.

Leia mais:

1 – Bolsonaro diz a Biden que crise no Brasil ‘é culpa da imprensa’

2 – PT aciona MPF contra Petrobras por alto preço dos combustíveis e propaganda enganosa

3 – Moro mentiu: Imagens mostram que Bolsonaro não comemorou quando Lula ficou livre

O que Alexandre de Moraes escreveu?

“Uma vez endereçada ao Supremo Tribunal Federal uma notícia-crime, cujo procedimento investigatório igualmente existe no âmbito do Ministério Público. Como é o presente caso, a PGR é convocada a exercer, a partir de então, o seu mister precípuo. Cabendo a essa Suprema Corte, por outro lado, a estrita obediência de seu dever jurídico consistente no indispensável controle das investigações. Especialmente para garantir que o procedimento tramite regularmente, com severa obediência aos direitos constitucionais dos envolvidos”, disse o ministro.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.