Allan dos Santos entra com habeas corpus para se livrar da prisão; Veja a íntegra do pedido

Atualizado em 3 de novembro de 2021 às 16:19
Allan dos Santos
Allan dos Santos – Foto: Reprodução

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, discípulo de Olavo de Carvalho, entrou com habeas corpus para se livrar da prisão. Ele teve prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, além de sua extradição dos Estados Unidos.

LEIA MAIS:

1 – E lá se vai a oitava via. Por Helena Chagas

2 – Estadão detona Moro e a empulhação lavajatista. Por Jeferson Miola

3 – VÍDEO: Moro é xingado de “lixo” e “juiz ladrão” ao chegar em Brasília para filiação

O HC de Allan dos Santos

O HC de 42 duas páginas é assinado pelo advogado Juliano de Castro Gomes. Ele defende a “liberdade de expressão” do blogueiro que faz parte da rede de extremistas fiéis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Diz o documento:

“O Paciente é um jornalista que exercia a função de corresponde internacional da empresa Terça Livre TV nos Estados Unidos (até o fechamento da empresa pela autoridade coatora). Nesse norte, a decisão que determinou sua prisão cautelar e extradição, sem qualquer chance de defesa, configura, por si só, um atentado à liberdade de imprensa”.

Leia o HC na íntegra aqui.

Ele se diz “preso político esquecido” e se compara a “vítima de estupro”

O blogueiro está desesperado com sua prisão decretada. Inventou que é como uma “vítima de estupro” em um texto. Ele está completamente fora de si.

“Nenhuma característica da vítima de estupro pode ser RACIONALMENTE VÁLIDA para explicar o comportamento criminoso do estuprador. Isso significa que NÃO existe qualquer explicação razoável (racional) que aumente ou diminua a culpabilidade do agressor nesse caso específico.

O exemplo cruel que coloquei é para elucidar outros casos de natureza distinta, mas que podem ser facilmente compreendidos, tais como tentar especular que uma vítima de homicídio poderia caminhar em outras ruas que não àquela dominada pelo narcotráfico. Nenhuma pessoa normal daria algum tipo de diminuição da culpabilidade dos agressores dizendo que as vítimas poderiam ‘se vestir de modo menos atraente’, no caso estupro, ou ‘evitar andar na rua dominada pelo narcotráfico’”.

Inacreditável.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.