Mercadante alfineta “Faria Lima” e diz que plano econômico de Lula será para os mais pobres

Foto de Aloizio Mercadante
Declaração foi feita em encontro com outros aliados do ex-presidente na Fundação Perseu Abramo. Foto: Reprodução.

Aloizio Mercadante, ex-ministro da Educação de Dilma Rousseff, disse que futuro governo Lula se dedicará à economia popular. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (14). Mercadante também criticou políticas econômicas direcionadas à burguesia.

Na declaração, o ex-ministro disse que “nós temos interesse em debater ideias, apesar que muitas vezes a cobertura é quase monotemática. A única agenda que parece interessar uma parte do debate político é a agenda da Faria Lima. Existe outra agenda: são 19 milhões de pessoas passando fome, 32 milhões de pessoas na economia informal, inflação arrebentando o custo de vida das pessoas, os reajustes salariais muito abaixo da inflação. Não era assim no nosso governo”.

O anúncio foi feito em uma reunião no prédio da fundação Perseu Abramo, em São Paulo. Estavam presentes também o ex-presidente Lula; Gleisi Hoffmann, presidenta do partido; Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda e Tereza Campello, ex-ministra do desenvolvimento Social.

Leia mais:

1 – Governadores resolvem acabar com o congelamento de ICMS sobre combustíveis

2 – Venda de autotestes deve ser aprovada pela Anvisa até semana que vem

3 – Presidente da OAB manda indireta para Moro após desafiar Lula para debate

Mercadante falou que não irá atender apenas a “agenda da Faria Lima”

Tanto o ex-ministro quanto Gleisi Hoffmann, destacaram que o plano de governo que será construído pelo partido se direcionará para os mais pobres e a garantida de renda e emprego. Ambos criticaram a  “agenda da Faria Lima”, centro financeiro da cidade de São Paulo.

“Nosso foco é na economia popular. Ou seja, como tirar as pessoas da vida triste que estão vivendo. E não é para responder ao mercado brasileiro. Aliás, achamos que está na hora de o mercado dizer o que vai fazer pelo Brasil e pelo povo brasileiro”, disse a presidenta nacional do partido.

No entanto, nenhum dos participantes na reunião falaram em nome do ex-presidente Lula. A agenda econômica do presidenciável ainda não foi detalhada para o eleitorado.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.