Assistente social dona de terreiro denuncia invasão da polícia sob acusação de “acobertar” Lázaro

Assistente social dona de terreiro denuncia invasão da polícia sob acusação de “acobertar” Lázaro. Foto: Reprodução/Twitter

A assistente social Dani Sanchez denunciou racismo religioso das autoridades no Twitter neste sábado (19).

LEIA – Caçada ao serial killer Lázaro tem até uso de drone

Ela escreveu o seguinte:

“Invadiram meu terreiro e acusaram meu sacerdote de acobertar o Lázaro. Arrombaram a porta das casas de Santo, entraram no roncó, vistoriaram celular e computador. Denunciem o racismo religioso que está acontecendo em águas lindas de Goiás”.

Lázaro Barbosa é o serial killer procurado em Goiás e Brasília.

Para relembrar o caso: Lideres de terreiros de Águas Lindas de Goiás, Girassol e Edilândia, todas em Goiás, denunciam ações truculentas de militares em ao menos 10 templos desde que Lázaro Barbosa, conhecido como “serial killer do DF”, 32 anos, começou a ser procurado na região.

O pai de Santo André Vicente de Souza, 81 anos, registrou um boletim de ocorrência na noite de sexta-feira (18) após o terreiro dirigido por ele ser alvo de buscas duas vezes em uma semana, segundo ele, de forma abusiva e violenta. “Deixa a gente emocionado. Eles bateram no meu caseiro. Eu disse para eles: quem responde aqui sou eu!”, relatou.

Segundo Pai André, os militares que buscam por Lázaro Barbosa, apontado como o autor da chacina de uma família de quatro pessoas, em Ceilândia (DF), estiveram no terreiro pela primeira vez na terça-feira (15). “Na primeira vez que vieram, eles (policiais) bateram no meu caseiro e eu não estava em casa”, contou.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!