Facebook derruba vídeo de Bolsonaro que associa vacina com a AIDS

Bolsonaro aids video facebook
Facebook derrubou vídeo do Bolsonaro

Neste domingo (24), o Facebook derrubou a live do presidente Jair Bolsonaro feita na última quinta (21). O vídeo não pode mais ser visto no Facebook e nem no Instagram.

A decisão ocorreu porque o governante desrespeitou políticas da empresa relacionadas à vacina contra o coronavírus. A rede social deixa claro que não se pode promover ou alegar que os imunizantes contra Covid-19 matam ou causam danos graves às pessoas.

Essa é a primeira vez que a empresa tira uma live semana do presidente. Mesmo com inúmeras fake news que ele tem promovido, seus vídeos anteriores seguiram no ar. Porém, em 2020, uma postagem dele tinha sido apagada. Na ocasião, o governante citou o uso da cloroquina para o tratamento da doença. Além de defender o fim do isolamento social.

Leia mais:

1 – Forças Armadas não diminuem desmatamento na Amazônia e dão prejuízo de R$ 500 milhões aos cofres públicos

2 – Ex-ministro de Dilma dá patada em jornalista da GloboNews: “Está tratando o PT como governo”

3 – VÍDEO: Ciro elogia João Amoedo e ataca Dilma e Lula: “Coração cheio de ódio”

Bolsonaro e a fake news da AIDS

Também na quinta (21), o governante resolveu espalhar mais uma mentira sobre vacinação contra Covid-19. Se inspirando em site conspiracionista, o presidente disse que pessoas imunizadas com 2 doses estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS) muito mais rápido do que o previsto.

O Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido afirma que a publicação é de um site que propaga ‘fake news’ e teorias da conspiração e diz que a história não é verdadeira.

Zahraa Vindhani, oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, também afirma que “as vacinas contra a Covid-19 não causam Aids”. “A Aids é causada pelo HIV.”