Bolsonaro ficou histérico ao saber que PGR pediu prisão de blogueiro

Bolsonaro de boca aberta enquanto a conta de luz sobe
Bolsonaro – Foto: Reprodução

Bolsonaro ficou muito irritado ao saber que Augusto Aras pediu a prisão do blogueiro Wellington Macedo. O bolsonarista foi preso pela Polícia Federal por determinação do ministro do STF, Alexandre de Moraes. A prisão é preventiva, sem prazo determinado para soltura. E coloca outros bolsonaristas na mira da Justiça.

A ordem de prisão partir de Moraes não surpreendeu o presidente. Ele sabe que está em uma guerra e já percebeu que o ministro não vai recuar. Só que sua irritação é que mais uma vez Aras foi contra o interesse dele. Se o clima até ontem era de decepção, agora é de irritação.

Pessoas próximas ao chefe do Executivo tentaram amenizar a situação. Apontaram que foi Lindôra Araújo que fez o pedido. Porém, o governante lembrou que Augusto já havia revertido uma decisão da auxiliar. Há pouco tempo, Aras foi contra a prisão domiciliar de Roberto Jefferson.

A sensação no Palácio do Planalto é que o PGR mudou da água para o vinho depois que foi reconduzido. Se antes era visto como um grande aliado, agora há muita preocupação nos próximos passos dele.

Até o momento, Bolsonaro não quer conversar com Aras. Ele quer guardar suas energias para o dia 7 de setembro. Por sinal, cada vez mais isolado, o PGR é um dos que aposta que o presidente vai radicalizar ainda mais. E ele deixou claro para interlocutores que não quer fazer parte disso.

Leia mais:

1- Sargento é punido pelo Exército após participação em live de deputado bolsonarista

2 – “É difícil governar o país por causa da Constituição”, diz ex-secretário de Guedes

3 – Chorume de semitons e guinchos em auto-tune: Juliette emudece a MPB e enterra a crítica. Por Luís Antônio Giron

Aliado de Bolsonaro é preso

No dia 20 de agosto, o magistrado incluiu Macedo no inquérito que investiga atos antidemocráticos. Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, e Eduardo Araújo, além de Wellington Macedo de Souza, Antônio Galvan, Alexandre Urbano Raitz Petersen, Turíbio Torres, Juliano da Silva Martins e Bruno Henrique Semczeszm estão proibidos de se aproximarem da Praça dos Três Poderes e todos foram alvos de busca e apreensão.

Apesar de terem sido proibidos de usar redes sociais, Zé Trovão e Macedo participaram de uma live feita pelo blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio. Zé Trovão fez reiteradas ameaças à corte.