Com medo de perder eleição, deputados do Centrão cogitam abandonar Bolsonaro

Bolsonaro Centrão
Rejeição de Bolsonaro faz Centrão ter medo

Bolsonaro está com grande rejeição em diversas regiões do Brasil, e deputados do Centrão cogitam não apoiá-lo em 2022. Há um grande medo de parlamentares deles serem rejeitados por estarem ligados ao Palácio do Planalto. Estados do Sudeste e Nordeste são os principais problemas do presidente da República.

Conforme apurou o DCM, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro são incertos para o bolsonarismo. Isto porque Cláudio Castro não garante total fidelidade ao presidente. Na região paulista, Tarcísio Freitas segue falando que não quer concorrer. Em Minas, Zema vai apoiar o presidenciável do Novo.

No Nordeste, o Partido Liberal tem fortes ligações com legendas de esquerdas. Inclusive, muitos deputados gostariam de apoiar Lula ao invés de Bolsonaro. Os políticos estão identificando enorme rejeição ao presidente. E acreditam que dificilmente conseguirão reverter isso.

Leia mais:

1 – Urgente: Orçamento Secreto é liberado pela ministra Rosa Weber

2 – Desesperados com perda de Zema, bolsonaristas sugerem nome inusitado para governo de Minas

3 – Justiça da prazo para Sergio Camargo se desculpar com Tabata Amaral

Bolsonaro e a rejeição

Todas essas dificuldades colocam em risco diversas candidaturas aos governos estaduais. Muitos pré-candidatos temem algum tipo de boicote por parte dos deputados federais e estaduais. Um exemplo disso é em São Paulo. Há enorme revolta dos filiados do PL pela ida de Bolsonaro para a sigla.

Isto porque fez a legenda abandonar a pré-candidatura de Rodrigo Garcia. Prefeitos e vereadores, que possuem grande importância nas campanhas, também rejeitam a ideia de apoiar o presidente da República no ano que vem.

Líderes do Centrão tentam diminuir essa rejeição liberando emendas. Só que isso não tem surtido efeito. E há muita preocupação que palanques sejam esvaziados em 2022.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.