Bolsonaro se encontra com Mendonça para acalmar evangélicos: “Meu homem”

André Mendonça e Jair Bolsonaro
André Mendonça e Jair Bolsonaro. Foto: Evaristo Sá/AFP

Jair Bolsonaro (sem partido), recebeu, nesta quinta (14), o ex-AGU André Mendonça e reafirmou apoio para a sua indicação ao STF. Porém, o encontro não passou de mais uma das estratégias do mandatário: acalmar os evangélicos.

“Meu homem”, disse Bolsonaro a Mendonça. Contudo, nos bastidores, como apurou o DCM, Bolsonaro não tem nenhuma empolgação por Mendonça. Ele não faz esforço algum para que ele seja sabatinado ou aprovado.

Fora da agenda do presidente, Mendonça foi ao Planalto acompanhado pelo presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado Cezinha da Madureira (PSD-AM). Eles também se encontraram com o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil), que recentemente participou de uma articulação contra Mendonça para a vaga no tribunal.

Leia também:

1; Centrão tem a solução para rejeição de presidente cair

2; Presidente interina do PTB teria fingido ser pastora para visitar Roberto Jefferson na cadeia, diz filha

3; TSE cassa candidato acusado de fake news e abre jurisprudência para derrubar chapa de Mourão

Encontro de Bolsonaro e Mendonça aconteceu em meio à pressão por sabatina do Senado

Nas últimas semanas, Alcolumbre passou a ser muito cobrado para pautar a sabatina. Os evangélicos foram um dos que mais se mobilizaram contra Davi e dizem que sua oposição a Mendonça terá consequências eleitorais no Amapá.

Bolsonaro oficializou a escolha de Mendonça para a vaga do ex-ministro Marco Aurélio em 13 de julho, mas desde então o senador não pautou a sabatina na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). A estratégia de Alcolumbre é inviabilizar a indicação para que a cadeira na corte seja ocupada por indicado no próximo mandato presidencial. Ele pretende segurar a sabatina até 2023 para que isso aconteça.