Brasil se torna líder de grupo internacional antiaborto

Brasil conservador
Damares é responsável por cuidar da liderança do Brasil no grupo antiaborto

O Brasil agora é líder do processo de engajamento de outros países em um acordo internacional antiaborto. A aliança chamada Consenso de Genebra é composta por nações ultraconservadores. Os Estados Unidos deixou o bloco logo no primeiro mês de Biden.

A aliança completou um mês de existência e reúne 36 países, muitos deles conhecidos por violarem os direitos das mulheres. Arábia Saudita, Uganda, Iraque e Hungria fazem parte do grupo. A Rússia também entrou na declaração. A informação é da Folha de S. Paulo.

Brasileiros e russos estão do mesmo lado na pauta antigênero. O Brasil tem sido favorável às propostas feitas por Vladimir Putin contra resoluções que favorecem os direitos das mulheres.

A ministra Damares tem usado a influência do Brasil para comandar pautas ultraconservadora. Ela se tornou líder do grupo depois que Ernesto Araújo deixou o governo Bolsonaro.

Leia mais:

1 – Com mais de 800 mil mortes, Biden diz que enviará ajuda médica e 500 milhões de testes para estados dos EUA

2 – “Eriça os sentimentos e não colabora para harmonia dos Poderes”, diz Temer em relação aos ataques de Bolsonaro ao STF

3 – Gilmar Mendes será relator de processo do PT contra Governo sobre apagão de dados da Covid-19

Brasil é o foco dos ultraconservadores

Após a derrota de Donald Trump nos Estados Unidos, o Brasil se tornou o maior alvo dos ultraconservadores. Por isso Steve Bannon tem se dedicado muito para que Bolsonaro consiga vencer novamente e siga no poder em solo brasileiro.

Porém, conforme pesquisas recentes, o ex-presidente Lula aparece em primeiro lugar, com chances de vencer no primeiro turno. Já o atual chefe do executivo federal tem visto sua popularidade cair cada vez mais.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.