Caso Marielle: Freixo cobra explicações sobre troca de delegado e saída de promotoras

Foto: Reprodução/ Twitter

O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) foi às redes sociais nesta sexta-feira (10) cobrar explicações sobre a troca do delegado e saída das promotoras que investigam o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes.

Leia abaixo a íntegra do texto publicado por Freixo:

ATENÇÃO! É gravíssima a saída das promotoras Simone Sibilio e Leticia Emile das investigações sobre a execução de Marielle Franco. O pedido de demissão de ambas ocorre na mesma semana em que o delegado do caso, Moisés Santana, foi substituído.

Simone e Leticia estavam há 3 anos no caso, realizando um trabalho correto. Ainda não sabemos as razões das demissões, mas há informações sobre interferências externas nas investigações que podem estar ligadas à delação de Júlia Lotufo, viúva do miliciano Adriano da Nóbrega.

Júlia foi casada por 10 anos com Adriano, chefe do maior grupo de assassinos profissionais do Rio, e conhece os bastidores do crime organizado no Estado.

O governador Claudio Costa e os chefes do Ministério Público e da Polícia Civil do RJ precisam vir a público explicar a substituição do delegado e se posicionar sobre a saída das promotoras. É preciso que haja transparência e responsabilidade.

A execução da vereadora Marielle Franco e de Anderson Gomes envolve gente muito poderosa e não podem pairar suspeitas sobre interferências nas apurações. O assassinato de Marielle é um crime contra a democracia, e o seu mandante tem que ser identificado.

Qual grupo político é capaz de executar uma vereadora? Quem mandou matar Marielle Franco? E por quê? Essas respostas interessam ao Rio de Janeiro e ao Brasil.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!