VÍDEO: Chechenos se mobilizam para apoiar a Rússia na Ucrânia

Chechênia quer que Zelensky se desculpe com Putin

Atualizado em 25 de fevereiro de 2022 às 18:46
Chechenos se mobilizam para apoiar a Rússia na Ucrânia
Foto: Reprodução

Milhares de combatentes da Chechênia se mobilizam para apoiar às forças armadas da Rússia na Ucrânia. O líder da república do sul, Ramzan Kadyrov prometeu que isso aconteceria, enquanto os militares de Moscou conduziam o segundo dia de seu ataque à Ucrânia.

Na sexta-feira (25), 12.000 voluntários locais se reuniram na praça central da capital regional, Grozny. “Estes são voluntários que estão prontos para partir para qualquer operação especial a qualquer momento, a fim de proteger nosso estado e nosso povo”, disse Kadyrov.

De acordo com o ministro checheno da política nacional, Akhmed Dudayev, o objetivo da congregação era demonstrar como as tropas estavam preparadas para seguir ordens e defender sua pátria. “Foi uma verificação do pessoal”, esclareceu Dudayev.

Confira a preparação das tropas:

Leia também:

1- VÍDEO: Ratinho ignora mortes e debocha da guerra na Ucrânia: “Bobagem”

2- Bolsonaro escolhe quem vai definir posição do Brasil na guerra

3- Guerra híbrida: analista dos EUA faz paralelo entre Ucrânia e o golpe em Dilma

Chechênia quer que Zelensky se desculpe com Putin

Em um discurso que fez aos militares reunidos no centro de Grozny, Kadyrov exigiu que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky pedisse desculpas a Putin.

“Aproveitando esta oportunidade, quero aconselhar o atual presidente Zelensky para que ele ligue para nosso presidente, o comandante supremo Vladimir Vladimirovich Putin, e peça desculpas por não ter feito isso antes. Faça isso para salvar a Ucrânia. Peça perdão e concorde com todas as condições que a Rússia apresenta. Este será o passo mais correto e patriótico para ele” , declarou o líder.

Moscou instigou uma “operação militar especial” na Ucrânia nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira, com a intenção de desmilitarizar e “desnazificar” o país, depois de alegar que o governo de Kiev foi responsável por oito anos de genocídio na guerra do país. rasgada região de Donbass.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link