Ciro Nogueira obedece Bolsonaro e acha solução para Mendonça: pressionar Pacheco

Ciro Nogueira e Bolsonaro
Ciro Nogueira prometeu cumprir a ordem de Bolsonaro

Ciro Nogueira não vive um bom momento no governo Bolsonaro. O ministro foi atacado por Silas Malafaia. E soube por aliados que o “gabinete do ódio” entraria em ação contra ele. Então o figurão do centrão procurou o presidente para solucionar a situação.

Conforme apurou o DCM, o chefe do executivo disse que um grupo que o apoia não confiava em Nogueira. E que não estava conseguindo segurar a insatisfação. O ministro perguntou se havia a intenção de tirá-lo do cargo, mas Jair Messias descartou. Disse que o filiado do PP só sairia se pedisse.

Porém, Bolsonaro explicou que era preciso que o ministro mostrasse um pouco mais de serviço em relação ao caso de André Mendonça. O presidente afirmou que não adianta dialogar com Alcolumbre (DEM). Entendeu que o senador não vai ceder a pressão. Agora o momento é de convencer Rodrigo Pacheco.

Leia mais:

1 – STF determina devassa nas contas do PTB por suspeita de dinheiro público para disseminar fake news

2 – Live das 5: Bolsonaristas pedem “Fora Queiroga” após ministro defender passaporte sanitário

3 – Ricardo Salles compra mansão de R$ 3 milhões e antigos donos mandam recado: “Não estragar o jardim”

Ciro Nogueira tem sugestão

Bolsonaro pediu ao ministro para conversar com o presidente do Senado. Porém, Ciro Nogueira não acredita que isso vai funcionar. Por isso se colocou à disposição para pressionar Rodrigo Pacheco.

Na opinião do ministro, Pacheco é mais cordial e tem mais dificuldade em lidar com pressão. E, caso Rodrigo ceda, conseguirá ter um diálogo mais amigável com Alcolumbre que pessoas do governo Bolsonaro.

O presidente gostou da sugestão e deu mais um voto de confiança. Deixou claro que continuará tentando segurar seu grupo político. Mas avisou: “Tenho voz, mas há quem não escute. Nem tudo que sai por aí é culpa minha”. Ciro Nogueira entendeu, não concordou, mas evitou se aprofundar no tema.