Essencial do DCM: Jornal Nacional fala de Paulo Guedes; relatório da CPI vai indiciar Bolsonaro, diz Renan

Essencial do DCM
Jornal Nacional fala de Paulo Guedes; relatório da CPI vai indiciar Bolsonaro, diz Renan – Thumb/DCM

Guedes e Bolsonaro são os assuntos. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as últimas notícias e conversa com o cientista político Rudá Ricci.

Leia também:

1- Polícia prende suspeito de estuprar menino de 12 anos e encontra material nazista

2- Vargas Llosa foi dono de empresa offshore em paraíso fiscal em 2015

3- Jornal Valor vira piada com “noticia” de que Lula monta gabinete “só com petistas”

Jornal Nacional passa pano para Guedes

Nesta terça (05), o Jornal Nacional, da TV Globo, virou alvo de críticas nas redes sociais por passar pano para o ministro da Economia, Paulo Guedes. A emissora havia silenciado até o momento sobre o caso da offshore milionária de Paulo Guedes, exposta nos Pandora Papers.

Segundo apurou o DCM, o motivo da defesa se dá por conta da família Marinho ter conta em paraíso fiscal. Paula, neta de Roberto Marinho, filha de João Roberto, apareceu nos Panama Papers, de 2016, quando offshores criadas pela firma panamenha de advocacia Mossack Fonseca foram reveladas. Da Globo constavam ela e o então diretor geral do grupo, Carlos Schroder, estrelas de uma lista de catorze nomes ligados à mídia brasileira.

A Dreadnoughts International, uma offshore nas Ilhas Virgens Britânicas, paraíso fiscal no Caribe, foi criada em 2014. À época, Guedes era economista e sócio da Bozano Investimentos. Nos meses seguintes, ele aportaria US$ 9,54 milhões — o equivalente, hoje, a mais de R$ 50 milhões — na conta da offshore, numa agência do banco Crédit Suisse, em Nova York.

Indiciamento de Bolsonaro

Renan Calheiros afirmou que “com certeza” pedirá o indiciamento de Jair Bolsonaro no relatório da CPI. Em conversa com jornalistas, o relator da comissão prometeu pedir que seja indiciado “pelo que praticou”.“Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório”, diz.

Relator afirmou que a CPI já tem 34 pessoas investigadas diretamente. Bolsonaro não entra na lista. O extenso documento, no entanto, vai incluir mensagens do presidente.

Bolsonaro escreveu para os contatos da sua lista de transmissão que “jovens morreram com a Pfizer”, no mesmo dia em que o Ministério da Saúde voltou a recomendar a vacinação de adolescentes. Trata-se, é claro, de mais uma fake news.

Confira a live abaixo: