Apoie o DCM

VÍDEO – Deputado bolsonarista ataca Orlando Brandes, CNBB e papa: “Pedófilos safados”

Deputado bolsonarista discursa
Bolsonarista ataca arcebispo, CNBB e papa – Foto: Reprodução

Em vídeo que circula nas redes sociais neste sábado (16), o deputado bolsonarista Frederico D’Avila (PSL-SP) atacou o arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o papa Francisco.

As falas ofensivas ocorreram em seu discurso na Assembleia Legislativa de São Paulo na última quinta-feira (14/10).

D’Avila chamou os religiosos de “safados”, “vagabundos” e “pedófilos”.

Veja vídeo abaixo:

Leia mais:

1 – Debandada: 40% dos deputados do PSL vão mudar de partido após fusão com o DEM

2 – VÍDEO: Deputado que quebrou placa de Marielle é expulso de evento aos gritos de “assassino”

3 – Exclusivo: Dallagnol escreveu parte da delação de Barusco e incluiu PT por “fins políticos”

O que disse o bolsonarista

Em seu discurso na Alesp, Frederico D’Avila disse o seguinte:

“Seu safado da CNBB dando recadinho para o presidente [Bolsonaro], para a população brasileira, que pátria amada não é pátria armada. Pátria amada é a pátria que não se submete a essa gentalha. (…) Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito, do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos safados, a CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil.”

As ofensas do deputado são uma resposta ao discurso de dom Orlando, que, na última terça-feira (12), durante a missa pelo Dia de Nossa Senhora Aparecida, fez críticas à política armamentista de Jair Bolsonaro (sem partido) e defendeu a ciência e a vacina.

“Para ser pátria amada, seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos irmãos construindo a grande família brasileira”, disse o arcebispo.

“Pátria amada”, como se sabe, é o slogan do governo.