Padilha defende união de Lula e Ciro contra Bolsonaro: “Necessário”

Publicado em 14 setembro, 2021 11:57 pm
Lula e Ciro Gomes
Ciro Gomes e o ex-presidente Lula. FOTOS: EVARISTO SÁ/AFP E FILIPPO MONTEFORTE/AFP

O deputado federal Alexandre Padilha (PT) declarou que é possível unir Lula (PT) e Ciro Gomes (PDT) nos atos de esquerda contra Bolsonaro. Na visão dele, a reunião é “possível e necessário”. A afirmação ocorreu nesta terça (14), em entrevista ao UOL News.

“Acho possível e necessário. Não só Lula e Ciro [juntos para defender a democracia], mas temos que reunir todos aqueles que defendem a democracia. E que se sentem incomodados com o jantar de ontem [de empresários e políticos, como o ex-presidente do Brasil Michel Temer (MDB)]”, comentou.

A permanência de Bolsonaro no poder representa o risco à vida, segundo Padilha. Além de também ser uma ameaça para a democracia brasileira. Por isso o deputado deseja que todos se unem contra um possível golpe.

“Acho que Bolsonaro quer construir um clima de terror para o período pré-eleitoral e eleitoral no país. Ele quer criar um clima para que as pessoas se sintam inibidas de fazer campanha, de se posicionar”, declarou.

Leia mais:

1 – VÍDEO: Além de Bolsonaro, Marinho imitou Temer, Ciro e Doria em jantar promovido por ex-presidente

2 – Noblat faz mea culpa: “Por que nós, jornalistas, acreditamos facilmente nas informações da Lava Jato?”

3 – Neymar, Patrícia Pillar, Pelé e o mistério dos milionários que fazem caridade como autopromoção. Por Nathalí

Lula e Ciro devem ir aos atos de 2 de outubro contra o presidente Bolsonaro

Movimentos Sociais organizam novo ato ‘Fora Bolsonaro’ e já definiram uma data: 2 de outubro. Entidades e lideranças de esquerda seguirão realizando manifestações contra o presidente.

Prometem ir às ruas grandes mobilizações nacionais, sindicatos, coletivos organizados e movimento estudantil. Partidos e lideranças de esquerda também estarão presentes nas manifestações. Ações de panfletagem e divulgação nas redes já tiveram início. Protestos também foram marcados para o dia 15 de novembro.

Os atos de 12 de setembro, que foram alvos de zombaria de Bolsonaro, foram feitas por grupos de direita. PSOL e PT escreveram uma nota para avisar que não participariam.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!