TCU obriga genro de Silvio Santos a diminuir verba do governo ao SBT e aumentar a Globo

Por determinação do TCU, Fábio Faria terá que pagar mais à TV Globo
Jair Bolsonaro, Fábio Faria e Silvio Santos. Foto: Reprodução/SBT

A TV Globo voltou a ser contemplada com a maior fatia do investimento de publicidade da Secom. Fábio Faria é o ministro das Comunicações e genro de Silvio Santos. Em junho de 2020, ele foi obrigado a seguir uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU). A emissora líder em audiência passou novamente a receber mais recursos. Paralelamente, o SBT teve uma redução de investimento.

Entre 2019 e 2021, a TV Globo recebeu um total de R$ 47,2 milhões de investimento: R$ 11,7 milhões em 2019, R$ 16 milhões em 2020 e R$ 19,5 milhões em 2021. O SBT, por sua vez, recebeu mais, mas perdeu investimento nos últimos anos. Em 2019, a emissora recebeu R$ 20,4 milhões. No ano seguinte, R$ 16,6 milhões. Neste ano, foram R$ 16,5 milhões.

Relatório do TCU de novembro de 2019 indicou que a Secom do governo destinava maiores percentuais de verbas publicitárias para a Record TV e o SBT, mesmo que as emissoras não sejam líderes em audiência. O documento indicava assimetria no pagamento.

Leia mais:

1 – Aliado de Kast diz que estupradores de “mulheres feias” merecem “medalha”

2 – 558 mil famílias que vivem na miséria estão de fora do Auxílio Brasil

3 – Discurso de direita de Moro ofusca Ciro e aliados cogitam abandonar líder do PDT

Globo recebeu valores desproporcionais

Os valores recebidos pela Globo são desproporcionais à sua audiência. A emissora contou com 31% da audiência nacional no período, mas só recebeu 10% do total de verbas da Secom. A RecordTV, por sua vez, recebeu proporcionalmente: 12% do investimento total para a mesma porcentagem de audiência nacional. A Band e a RedeTV! seguem a mesma lógica, respectivamente 3% e 1% de investimento e audiência.

O SBT teve mais investimento do que audiência. A emissora de Silvio Santos teve 11% dos investimentos, mas só 10% da audiência.

A informação é do Poder360.

 

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link