Fantasiado de Sheik e cumprimentando Trump: para que servem e quanto custam as viagens de Eduardo Bolsonaro

O deputado federal Eduardo Bolsonaro na Câmara
Eduardo Bolsonaro. Foto: Agência Câmara

Eduardo Bolsonaro voltou a criar polêmica ao “brincar de ser sheik, em Dubai”, enquanto 19 milhões de pessoas passam fome no Brasil. Ele levou a família para o passeio, disse que foi “atrair empregos” e que a comitiva do Brasil é grande porque isso passa “sinal de prestígio”.

Para variar, se defendeu das críticas atirando, especialmente após viralizar um vídeo de pessoas catando restos no lixo enquanto a turma de divertia nos Emirados Árabes.

O alvo das críticas? Marcelo Freixo, que vai disputar o governo do Rio pelo PSB, e o PSOL.

“PSOL entrou com ações na justiça para impedir que pessoas lutassem por suas vidas, mesmo num tempo em que ninguém sabia nada sobre COVID. Estes sim os verdadeiros genocidas” – Freixo, como se sabe, deixou o PSOL. Mas, segundo o filho do presidente, “o PSOL não saiu dele”.

Apenas em 2019, Eduardo Bolsonaro usou dinheiro público para visitar 11 países.

Seu destino favorito: Estados Unidos. Ele esteve no país pelo menos quatro vezes.

Na primeira delas, passou uma semana na Virgínia, ao lado de Olavo de Carvalho. Em março, visitou o ex-presidente Donald Trump junto do pai e foi recebido no Salão Oval da Casa Branca. Em agosto, ao lado de Ernesto Araújo e Filipe Martins, esteve novamente com o então mandatário americano. No mês seguinte, acompanhou o pai em Nova York, na Assembleia Geral da ONU.

Acompanhou o pai em outros eventos, como a viagem a Davos (Suíça), na reunião do Fórum Econômico Mundial. Também visitou o Chile, a Argentina e o Japão, na cúpula do G-20, neste ano.

Ao fim do ano, fez um giro por países árabes. Passou por Bahrein, Omã e Kuwait, países aliados do ex-presidente Donald Trump. Posteriormente, foi a Jerusalém. Para articular com líderes da extrema-direita mundial, foi à Itália e à Hungria, conversar com Matteo Salvini e o chanceler Péter Szijjártó.

Leia também:

1 – Universitária comemora aniversário com bolo de Hitler e caso vai parar na polícia

2 – Advogada de Barusco deixou o Brasil pouco após delação manipulada por Dallagnol

3 – Fafá de Belém diz que prepararia maniçoba para Bolsonaro e desperta fúria de Carluxo

Viagens de Eduardo prosseguem em 2021

A viagem do deputado para Dubai com a comitiva brasileira tem rendido críticas nas redes. Eduardo, que alega ter ido ao país “atrair empregos”, agora viaja com a família.

Em janeiro deste ano, postou foto ao lado de Ivanka Trump, filha do ex-presidente, na Casa Branca. Estiveram lá, além dele, a esposa, Heloísa Bolsonaro, e a filha, Geórgia.

Em agosto deste ano, ele foi aos Estados Unidos junto da esposa, que, à época, reclamou dos “mendigos” de Nova York.

Recentemente, esteve na comitiva do pai para a Assembleia Geral da ONU, no mesmo local. Ao voltar do país, disse estar com covid-19.

Eduardo Bolsonaro de sheik árabe
Eduardo Bolsonaro vestido de sheik árabe com a mulher e a filha.
Foto: Reprodução/Instagram