Frigoríficos do CE vendem ossos “de primeira” e “de segunda”

Osso de boi
Ossos de boi – Foto: Reprodução

Frigoríficos da periferia de Fortaleza estão comercializando “ossos de primeira e de segunda”. O aumento da procura desses itens provocou alta nos preços. Segundo reportagem do Diário do Nordeste, o osso “de primeira” está custando R$ 9 o quilo, enquanto o “de segunda”, R$ 5.

A reportagem destaca que as ossadas sempre estiveram presentes nos açougues do Nordeste sendo utilizadas pela população em caldos, sopas, feijão, entre outros pratos. Porém, com a alta no preço dos alimentos, inúmeras famílias mais pobres passaram a recorrer às ossadas como item principal das refeições.

Maria da Penha Ferreira de Sousa, que está desempregada, relatou ao jornal que a última vez em que comprou carne foi em fevereiro. “Tem vez que dá aquela vontade, mas infelizmente não dá. Até os ossos que eu gostava pra fazer sopa deu uma subida e não comprei mais”, disse.

Leia também:

1; YouTube segue Facebook e tira vídeo em que Bolsonaro relaciona vacina a AIDS

2; Qual a chance do TSE cassar a chapa Bolsonaro e Mourão?

3; Jovem comemora aniversário com bolo de Hitler e diz que não é apologia ao nazismo

Ossos x Bolsonaro

O empobrecimento da população depois do golpe de 2016, que acarretou o governo de Jair Bolsonaro, faz com que os produtos de baixa qualidade sejam os mais vendidos nos mercados.

O aumento descontrolado do preço da carne não prejudicou somente a população que compra nos comércios. Vilaneide Bruno, funcionária de um frigorífico, disse que os produtos que mais estão saindo são carnes com ossos, como lombo, peito e a própria ossada. Além disso, o fígado, preparos para feijoada e panelada, bisteca e costela de porco.

“A ossada aumentou demais a procura, porque você bota dentro do feijão e não precisa mais da carne. A gente dos frigoríficos está se sustentando praticamente só com a carne dianteira, que é a carne de segunda”, destacou.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.