Glenn Greenwald acusa Tabata Amaral de “censura” no caso Monark

Atualizado em 8 de fevereiro de 2022 às 16:38
Glenn Greenwald acusa Tabata
Ex-editor do The Intercept acusa deputada de censura

O jornalista Glenn Greenwald acusa Tabata Amaral de “censura” após a deputada contrapor durante entrevista o apresentador do Flow Podcast, Monark, que defendeu a existência de um partido nazista.

“Acho que Tabata Amaral e outros defensores da censura devem ter cuidado ao usar judeus como um argumento. Foram os judeus americanos que, como minoria, lideraram a luta pela liberdade de expressão, incluindo advogados judeus da esquerda defendendo o direito deles de protestar”, escreveu Glenn Greenwald no Twitter na manhã de hoje (8).

A deputada havia rebatido Monark, após o mesmo dizer que os nazistas deveriam ter um partido “reconhecido pela lei”. Tabata afirmou que “liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca em risco coloca a vida do outro. O nazismo é contra a população judaica e isso coloca uma população inteira em risco.”

“A comunidade judaica até hoje tem que se preocupar com sua segurança porque recebe ameaça. O antissemitismo é uma coisa que tem ser combatida todos os dias”, completou Tabata.

Leia mais:

1- Entrevista em que Monark defende existência de partido nazista sai do ar

2- “Jesus e Hitler eram caras inteligentes”, disse Monark antes da fama

3- “Eu conversaria com Hitler”, disse Monark

Monark pede desculpas após defender nazistas

O apresentador postou um vídeo hoje (8) nas redes sociais pedindo desculpas e disse que não foi sua intenção ser insensível. Ele também convidou a comunidade judaica a participar do podcast para ensiná-lo sobre toda a história.

O influenciador disse que estava bêbado durante a entrevista realizada com os deputados federais Kim Kataguiri e Tabata Amaral.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.