Com Lula, Haddad cresce e vira nome forte para o governo de SP

Lula e Haddad se cumprimentam
Haddad vira força para virar governador de SP – Foto: Divulgação

Fernando Haddad tem chances reais de virar governador de SP. Essa é a avaliação interna que o PT vem fazendo, graças a pesquisas encomendadas pela sigla. Tudo porque, o petista cresce consideravelmente quando ancorado por Lula, o líder das pesquisas para presidente.

Em pesquisas divulgadas recentemente, Haddad aparece ora na liderança, ora no segundo lugar. Ele divide o posto com Geraldo Alckmin e vem mostrando potencial de crescimento a cada novo levantamento. Por isso o PT havia criado a estratégia para outubro: colar o ex-prefeito em Lula.

E mesmo antes das viagens começarem, um novo levantamento interno mostra que a estratégia parece ser certa. Se Haddad já disputa a liderança, quando seu nome aparece ao lado do de Lula, o crescimento é ainda maior. O petista tem um salto importante num cenário em que sua foto é vista ao lado do ex-presidente.

Leia mais:

1 – Toffoli decide arquivar pedidos para investigar offshores de Guedes e Campos Neto

2 – 12 pastores da Universal são investigados por desviar R$ 3 milhões em dízimos

3 – O inferno astral de Guedes: offshore e inflação deixaram a semana do ministro tensa

Haddad Governador

Os trackers – pesquisas internas de partidos – encomendados pelo PT mostram a força de Lula. Ele tem mais de 50% dos votos nas periferias do estado de São Paulo e ancora o crescimento de Haddad neste cenário. O petista salta quase 10 pontos percentuais quando visto ao lado do ex-presidente.

Diante deste cenário, é inevitável a candidatura para o governo do Estado. Embora tanto a sigla quanto o próprio Haddad ainda não confirmem, o caso é tratado como certo nos bastidores. Um membro do diretório estadual conversou com o DCM, sob a condição de anonimato, e confirmou a tese. “Nunca tivemos tanta chance de acabar com a hegemonia do PSDB no estado”, disse.

Haddad x PSDB

Mesmo diante do cenário favorável, o diretório sabe que não será tarefa fácil. A principal força em São Paulo segue sendo Geraldo Alckmin, mesmo desgastado, e ele já disse que quer ser candidato. Porém, ao ser barrado pelo PSDB, o político caminha para outros rumos, possivelmente o novo partido, saído da fusão DEM e PSL.

Além dele, no entanto, o PT segue observando os movimentos do PSDB. Embora Rodrigo Garcia ainda pontue baixo nas pesquisas, o cenário ficará mais real, na visão dos petistas, em 2022. Isso porque, ele deverá assumir o protagonismo no governo do estado e a tendência é de crescimento. Porém, com duas frentes, os votos deverão se dividir.

O efeito Lula

Nos bastidores, a crença dos petistas é para se repetir o feito de 2012. Haddad vinha como nome forte do partido após seu trabalho se destacar como ministro da Educação de Lula e Dilma e virou candidato em SP. Mesmo assim, nas primeiras pesquisas ele aparecia com desempenho baixo.

Mas quando o nome dele foi ligado ao de Lula, no auge de sua aprovação, rapidamente virou favorito. No fim, virou prefeito de SP derrotando justamente o PSDB no segundo turno. Dessa vez, Haddad tem a força de ter sido candidato a presidente e, novamente, tem Lula com alto potencial de votos.