Cancelamento seletivo: Por que os brancos nadam de braçada e os negros se dão mal no BBB?

Os 9 participantes negros do BBB21. Foto: Reprodução

O BBB21, inicialmente celebrado por bater o recorde de pessoas negras, acabou intensificando situações de racismo.

Dos 20 participantes desse ano, 9 negros entraram.

Esta edição do programa, no entanto, bateu outro recorde: o número de cancelados.

Semanalmente, participantes do reality são cancelados por diversos motivos.

Até então, porém, os principais alvos foram os 9.

Karol Conká, cantora negra, foi a primeira.

Fora da casa, ela já perdeu contratos, centenas de milhares de seguidores e chegou à falência.

Lumena, psicóloga lésbica, foi tachada de “militante chata” no início do reality.

Nego Di, apesar de já ter entrado cancelado no programa, foi eliminado com recorde de rejeição.

Abalado, o ex-BBB agora se afasta das mídias sociais e se isola.

Ativistas e parte do público negro do programa notaram um cancelamento seletivo:

Enquanto isso, Rodolffo, o bolsonarista que já fez comentários homofóbicos, e Thaís, que já excluiu Lucas, assim como Karol Conká, não movem metade da mobilização contra eles.

No ano passado, o grupo de mulheres brancas, que contava com Rafa Kalimann, Manu Gavassi e Marcela, era louvado por ter “fadas sensatas”.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!