Lira e Pacheco aumentaram o tom contra Bolsonaro por causa de nova variante

Bolsonaro covid variante
Bolsonaro mudou de ideia sobre fechamento das fronteiras depois que recebeu aviso do Congresso

Na sexta (26), Bolsonaro se mostrou resistente sobre fechamento de fronteiras mesmo com a nova variante da Covid-19. Ele chegou a dizer para os apoiadores que “teríamos que aprender a conviver com o vírus”. Só que a Omicron, detectada na África do Sul, mexeu com as estruturas do mundo. As ações das bolsas caíram e cientistas estão preocupados.

Conforme apurou o DCM, o Congresso Nacional não ficou nem um pouco satisfeito com as declarações do presidente. Deputados e senadores procuraram Arthur Lira e Rodrigo Pacheco para reclamar. Pediram ações mais rígidas para o Brasil não virar um paraíso de “antivacinas”.

A situação ficou ainda mais pesada por conta do alerta dado pelo presidente da Anvisa. Desta forma, não havia sentido o Governo Federal lutar contra o óbvio. Os parlamentares avisaram que queriam providências o mais rápido possível e os chefes da Câmara e Senado procuraram Bolsonaro.

Leia mais:

1 – Instituto identifica primeiros casos de Influenza A em SP desde 2020

2 – Sem decolar na pesquisa, Ciro Gomes não joga a toalha

3 – CPI da Prevent Senior: Servidores relatam falta de infraestrutura e prédios irregulares em hospitais

Lira e Pacheco iriam tomar ação se Bolsonaro não fizesse nada

Arthur Lira e Rodrigo Pacheco avisaram ao presidente que os congressistas estavam insatisfeitos com a postura do Governo Federal sobre a nova variante. Os dois disseram que tomariam medidas para tentar evitar a chegada da nova varianete caso Bolsonaro não fizesse nada.

Sem ter para onde correr, o governante pediu para os seus ministros adotarem ações técnicas para a situação. Ficou definido que as fronteiras aéreas serão fechadas para seis países da África do Sul.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link