Em carta aberta, Comitê Lula Livre pede que cidadãos italianos recusem a cidadania honorária a Bolsonaro

Bolsonaro fundo azul
Jair Bolsonaro. (Andressa Anholete/Getty Images)

O Comitê Lula Livre Italiano publicou uma carta aberta aos cidadãos italianos neste domingo (24). No documento, eles pedem que os moradores de Anguillara Veneta que recusem a cidadania honorária ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Conhecemos a índole humana do povo italiano. Conhecemos o seu senso de responsabilidade. Conhecemos a sua trágica história, superada com a dor de famílias destruídas pela guerra e pela pobreza”, diz trecho da carta.

“Conhecemos a cultura camponesa, a sua defesa do meio ambiente, a tenacidade dos trabalhadores italianos, o modelo cooperativo, as lutas pela inserção das mulheres na política e muitas outras pautas que têm sido referência e inspiração para nós”, continua o documento.

“Tudo isso é totalmente dissonante com a proposta de cidadania honorária a Jair Bolsonaro”, completa.

Leia, abaixo, a íntegra da carta:

Carta aberta aos cidadãos de Anguillara Veneta

“Boa tarde, caros cidadãos de Anguillara Veneta,

Boa tarde, prezados Vereadores da Lista Cívica Vivere Anguillara Insieme (Viver Anguillara Juntos, ndt),

Boa tarde aos convidados da ANPI, CGIL, PD, Articolo 1, Refundação Comunista, progressistas e pessoas de boa vontade. 

Dirigimo-nos a vocês e à Câmara Municipal de Anguillara Vêneta para lhes pedir que recusem a cidadania honorária a Jair Bolsonaro.

Entre tantas coisas que unem o Brasil e a Itália está a comunidade italiana, em particular do Vêneto, que passou por intensa emigração, tornando o país sul-americano humanamente mais rico e digno.

O encontro entre diferentes culturas, culturas alimentares, culturas de trabalho, tradições, artes visuais e musicais, é o melhor que podemos esperar, quando falamos de migração.

Leia também: 

1 – Pré-candidato, Moro já tem primeiro compromisso

2 – Google pede que Allan dos Santos seja condenado por litigância de má-fé

3 – Peça-chave da ‘rachadinha’, ex de Bolsonaro tem dívida milionária com a União

Continue lendo a carta

Os italianos no Brasil são respeitados por sua história, também feita de pobreza e ascensão social, bem como pelas culturas e tradições que acabamos de mencionar.

Somos povos amigos. Somos povos que valorizam a democracia e a vida, rejeitamos o autoritarismo e a indiferença social.

Infelizmente, os acontecimentos políticos brasileiros levaram à Presidência da República um homem que não consegue respeitar os valores que compartilhamos e que procuramos manter vivos em nossas sociedades, com uma conduta civilizada, respeitosa, íntegra e honesta. A expressão de nossos valores possui muitas nuances políticas diferentes em nossas realidades, mas nunca são expressões que traem os princípios fundamentais da democracia e da dignidade humana.

Infelizmente, estamos falando de um ser humano, ou talvez possamos falar mais propriamente de um ser desumano, incapaz de exprimir empatia e solidariedade. Além disso, negou-se a qualquer bom senso baseado em critérios científicos, levando a população brasileira ao precipício da morte e do desespero social. O desemprego se espalhou e a fome voltou a estender sua sombra sobre os mais vulneráveis: crianças e idosos, em particular. Esse homem tenta apagar o passado e abortar o futuro. Sua “novidade” é marcada por prepotência, arrogância, individualismo desenfreado e salve-se quem puder. O pacto social foi rompido.

Conhecemos a índole humana do povo italiano. Conhecemos o seu senso de responsabilidade. Conhecemos a sua trágica história, superada com a dor de famílias destruídas pela guerra e pela pobreza.

“Elevá-lo a exemplo é uma vergonha”

Conhecemos a força dos italianos, que permitiu a esse povo superar a guerra e se tornar uma das democracias mais desenvolvidas do mundo.

Conhecemos a cultura camponesa, a sua defesa do meio ambiente, a tenacidade dos trabalhadores italianos, o modelo cooperativo, as lutas pela inserção das mulheres na política e muitas outras pautas que têm sido referência e inspiração para nós.

Tudo isso é totalmente dissonante com a proposta de cidadania honorária a Jair Bolsonaro.

Não queremos fazer uma lista dos defeitos de Bolsonaro, porque correríamos o risco de omitir muitos erros. É suficiente dizer que ele deve respostas à Comissão de Direitos

Humanos da ONU em Genebra? Seria suficiente dizer que existem várias denúncias contra ele no Tribunal Penal Internacional?

Qualquer pessoa pode receber uma homenagem: a benevolência de conceder um prêmio nunca deve ser criticada. Mas talvez Anguillara Vêneta não mereça a vergonha de ter seu território associado a tal personagem. Anguillara Vêneta e toda a Itália devem permanecer em nossos corações e em nossa memória por aquilo que realmente representam: um povo fraterno, parte de nossas vitórias e de nosso desenvolvimento.

Aproveitamos para reiterar o nosso apoio aos cidadãos que fizeram críticas legítimas a essa proposta. Vocês têm nossa solidariedade, nossa compreensão, nosso respeito e nossa admiração.

Obrigado pela coragem de dizer não!

Comitê Italiano Lula Livre