Não olhe para cima tem Bolsonaro como ator oculto. Por Gilberto Maringoni

Atualizado em 26 de dezembro de 2021 às 7:59
Cena de Não olhe para cima, da Netflix
Não olhe para cima lembra Bolsonaro – Foto: Reprodução

Não perca tempo lendo críticas cheias de senões a “Não olhe para cima” e vá direto ao Netflix. Pode não ter o brilho de “Vice” (uma biografia livre de Dick Cheney), trabalho marcante do mesmo diretor Adam McKay, mas é o filme certo na hora certa.

O negacionismo de Trump e Bolsonaro está escancarado ao longo de pouco mais de duas horas da trama que se inicia com a descoberta de um cometa em rota de colisão com a Terra, feita por um casal de astrônomos.

O mercado e o mundo político tratam de tirar os maiores proveitos de um fim do mundo com data para acontecer. O tema, que apareceu em pelo menos uma dezena de filmes B de ficção científica no auge da Guerra Fria, aqui funciona como metáfora da pandemia do Covid-19 e das batalhas pela vacinação.

Leia também

1 – Vidente diz que Bolsonaro não terminará mandato

2 – Asteroide do tamanho de ônibus passará perto da Terra

3 – Biden é ofendido com meme de Trump ao atender ligação de Natal

Leonardo de Caprio – em meio a um elenco estelar – mostra porque é um grande ator. Há conflitos e climas que lembram muito “Um sinal do espaço”, magistral graphic novel de Will Eisner, lançada em 1978.

Veja, veja!

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.