Número de crianças que não aprenderam a ler e escrever cresce 65% na pandemia

Atualizado em 8 de fevereiro de 2022 às 7:01
A imagem da sala de aula
Sala de aula. Foto: Wikimedia Commons

Levantamento divulgado nesta terça (8) pela ONG Todos pela Educação aponta que 40,8% das crianças brasileiras entre 6 e 7 anos não sabiam ler ou escrever em 2021, diz o G1.

LEIA MAIS:

1 – Caminhoneiros, faxineiros, comerciários e porteiros são os que mais morreram na pandemia
2 – Guedes detona reajustes para servidores na pandemia: “Qual o sentido?”
3 – Queiroga diz que quer ser lembrado “como o homem que acabou com a pandemia”

Crianças que não aprenderam

Segundo a pesquisa, é como se, em uma sala de aula com 25 crianças, 10 delas não houvessem sido alfabetizadas nesse determinado contexto.

Para chegar a essa conclusão, a ONG analisou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do IBGE. O questionário do IBGE é respondido pelos responsáveis por elas.

Número delas entre 6 e 7 anos que não sabia ler ou escrever saltou de 1,429 milhão em 2019 (o equivalente a 25,1% das crianças brasileiras nessa faixa etária) para 2,367 milhões (40,8% das crianças) em 2021. O aumento é de 65,6% em comparação com os números de 2019.

Esse levantamento não leva em consideração amarelos, indígenas e não declarantes. Se considerasse esses públicos, o aumento seria de 66,3% entre 2019 e 2021.

Número é ainda mais alarmante entre as pretas entre 6 e 7 anos: em 2021, 47,4% delas não estavam alfabetizadas. Entre as pardas, 44,5%; entre as brancas, 35,1%. Em 2019, nenhum dos índices chegava a 30%.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link