ONU pressiona Bolsonaro e pede que reveja veto à distribuição de absorventes

Veja Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro – Foto: Evaristo Sá/AFP

Relatores da ONU cobraram o presidente Jair Bolsonaro sobre os vetos à distribuição de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade.

A cobrança ocorre por meio de carta enviada em 19 de outubro pelo Grupo de Trabalho contra a Discriminação de Mulheres e Meninas.

O órgão quer saber quais medidas serão tomadas para assegurar o acesso de mulheres e meninas a produtos de higiene menstrual.

Leia mais: 

1 – Folha é detonada após notícia sobre queda da desigualdade nos governos petistas sem citar Lula e Dilma

2 – Políticos, médicos e cientistas detonam presidente por fake news sobre vacinação causar AIDS

3 – Mãe de Dallagnol o avisou que “embaixo da banheira tem dólares guardados”

Detalhes da carta

A entidade enviou a carta após receber uma denúncia liderada pela bancada do PSOL e apoiada por outros 61 deputados e deputadas de diferentes partidos.

No texto, os parlamentares pediam ações por parte dos órgãos internacionais diante do desmonte de direitos no Brasil.

Diante disso, as relatorias da ONU decidiram agir.

Agora, elas pedem ao governo Bolsonaro que “tome todos os passos necessários para tornar lei o Projeto de Lei e os artigos que foram vetados”.

Espera-se também que sejam feitas campanhas de conscientização sobre:

  • Menstruação;
  • Saúde sexual;
  • Saúde reprodutiva para combater estigmas e estereótipos prejudiciais.

Brasil preocupa o Mundo

A política adotada pelo governo Bolsonaro no que se refere aos direitos das mulheres tem gerado preocupação por parte dos relatores da ONU.

Nos últimos meses, cartas foram enviadas sobre a pressão feita contra o aborto legal no Brasil. E também sobre outras violações de direitos humanos.

Com informações do UOL.