Sabadão do DCM: Presidente negacionista do CFM deveria ser preso com Bolsonaro

Sabadão do DCM
Presidente negacionista do CFM deveria ser preso com Jair Bolsonaro – Thumb Youtube DCM

O presidente do CFM é o assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as últimas notícias e conversa com o ativista Enio Barroso Filho e o jornalista Vinícius Segalla.

Leia também:

1- VÍDEO: Bolsonarista ataca cinegrafista da Globo na chegada do presidente ao Guarujá

2- VÍDEO: Prefeito de Gravatá celebra morte por covid de adversário que o acusou de pedofilia

3- TSE avalia cassação de chapa de Bolsonaro após ver conexões entre disparos em massa e milícia digital

Presidente do CFM

Mauro Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), é acusado de ter faltado a 873 plantões em hospital. Ele também teria, segundo o Ministério Público, recebido R$ 72 mil em salário de forma indevida.

O caso ocorreu entre 2013 e 2015, no hospital da Santa Casa de Campo Grande (MS). Apesar de ter atuado no estado, ele é formado pela Faculdade de medicina de Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Em live no mês de maio de 2020, Mauro Luiz Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) falou sobre cloroquina. Na ocasião, junto com representante do Conselho Regional de Medicina de Goiás (CREMEGO), ele admitiu que liberou a droga mesmo sem comprovação científica. Cita ainda apoio de Jair Bolsonaro ao Conselho.

“Não existe nenhuma evidência científica que comprove alguma eficácia da hidroxicloroquina [contra covid]”. Mesmo assim, admite: “Acabamos liberando o uso”. Ele diz ter feito uma análise “grande” e não encontrou “nenhum trabalho que sustente” a tese. “No entanto, o CFM liberou o uso. Não recomendou, mas liberou o uso”, completa.

“O presidente Bolsonaro já nos recebeu cinco vezes no Palácio do Planalto”, disse ele então. “Todas as nossas reivindicações foram atendidas pelo presidente da República”. “Aí, as coisas ficam muito mais fáceis”

Confira a live abaixo: