Queiroga não esperava repercussão negativa com suspensão de vacina para adolescentes

Queiroga
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga – Foto; Reprodução: Sérgio Lima/Poder360 05.06.2021

Queiroga está surpreso com a repercussão negativa com a suspensão de vacina para adolescentes. Ele esperava forte reação da oposição, mas não esperava que até aliados condenassem dentro do governo o posicionamento. Para piorar, o ministro da Saúde não esperava que 17 estados fossem desobedecê-lo. O mais chocante pra ele foi Minas Gerais.

Conforme apurou o DCM, o chefe da pasta de Saúde sentiu que os governadores não estavam respeitando o PNI. Tanto que conversou com Bolsonaro, que deu o aval para que a vacinação fosse suspensa. O ministro então fez o discurso e esperava apanhar apenas da oposição.

Só que a reações da imprensa e até de pessoas ligadas ao governo foram muito fortes. Na cabeça dele, o assunto não teria tamanha relevância e rapidamente outro assunto tomaria os noticiários. O que acabou não acontecendo. “Ele jogou fora nossa tentativa de narrativa”, reclamou um apoiador.

O objetivo do Palácio do Planalto era tentar colar a imagem que o governo Bolsonaro foi quem transformou a vacinação em um sucesso. Agora tudo foi jogado por água abaixo, na avaliação dos bolsonaristas.

Leia mais:

1 – Frota quer reabertura de CPMI das Fake News e diz que governo tenta salvar Carlos Bolsonaro

2 – DCM Ao Meio-Dia: Jornalista obrigado a tirar Lula do ar 10 minutos antes de entrevista a rádio fala ao DCM

3 – A mídia apela ao sadismo para fraudar a realidade, humilhar e oprimir. Por Tiago Barbosa

Queiroga surpreso com governadores

Queiroga esperava que governadores e prefeitos fossem para cima dele e do presidente. Mas com declarações pesadas. Só que ele acabou sendo ignorado e apenas recebeu algumas alfinetadas. Os chefes dos executivos estaduais simplesmente seguem vacinando os adolescentes.

O ministro da Saúde não esperava essa reação. E não escondeu sua insatisfação. Agora tornou pública a inutilidade dele. E deu mais força para os governadores contra o governo federal.