Rede de comunicação bolsonarista tem novo filhote: é o Brasileirinhos, que ameaça jornalistas. Por Pedro Zambarda

Canal Brasileirinhos defendendo empastelamento da imprensa. Foto: Reprodução/YouTube

O guru do governo Bolsonaro, Olavo de Carvalho, anunciou no dia 6 de dezembro seu novo jornal conservador, a que deu o nome “Brasil Sem Medo”. O repórter Renan Atunes de Oliveira revelou no mesmo dia, aqui no DCM, que os sócios da nova publicação incluem um secretário do MEC, um especialista em homeschooling (ensino em casa, como era antes da Revolução Francesa) e um empresário de cursos online.

Há um parceiro menos explícito desse novo jornal, que é apoiado por Filipe G. Martins, assessor do presidente e discípulo de Olavo. É o criador de um canal do YouTube Brasileirinhos, Elton Mesquita, conforme o DCM contou no último dia 19.

Elton Mesquita, o @manwblueguitar no Twitter, é ligado a André Barcelos Monteiro, de acordo com pessoas que conhecem essa teia de relações. André é casado com Joyce Barbosa Campos Daibert Moreira, dona da empresa responsável pela loja Vista Contra, com mensagens de extrema direita como “Deus Vult”, de Pedro Henrique Monteiro Padilha, o Tonho Drinks nas redes sociais.

As informações foram obtidas de um dossiê enviado por fontes que pediram anonimato.

Em setembro de 2019, o Brasileirinhos postou o seguinte em sua aba comunidade no YouTube:

“Olá, amiguinhos! Eu sou o Pastelinho, o mais novo companheirinho dos Brasileirinhos! Eles me pediram pra avisar que o episódio novo está quase prontinho! Ah, e um recadinho do seu amiguinho: Tem que empastelar bem empasteladinho, OK?”.

O mesmo canal fez outro post, para reforçar a primeira mensagem e fazer uma propaganda:

“Oi, amiguinhos, aqui é o Pastelinho de novo. Estou passando pra avisar que o Brasil vai precisar de jornalistas de verdade depois que os mongolões que estão na grande mídia forem deportados. Você acha que tem o necessário para ser um dos novos jornalistas? Pra isso, você vai precisar de uma boa formação! O jornalista *Cristian Derosa* do site Estudos Nacionais lançou um *Curso Online de Jornalismo*, com foco prático e com viés informativo. Ideal para produtores de conteúdo em blogs, sites independentes, ativistas e jornalistas, que compreendem a profunda necessidade de uma renovação do jornalismo brasileiro. O curso começa dia 25.09, no site Estudos Nacionais. Inscrições já abertas pelo link: https://www.estudosnacionais.com/assinar/curso-jornalismo/.

Para quem não está familiarizado, o termo “empastelamento” é uma forma de censurar os jornais e os jornalistas, além de destruir a sua comunicação. O conceito foi difundido por Alberto Dines, o falecido dono do Observatório da Imprensa, e pelo biógrafo de Getúlio Vargas, Lira Neto, que descreveu a invasão de jornais na ditadura do Estado Novo.

Esse mesmo conceito foi defendido pelos youtubers adorados por Filipe Martins, discípulo de Olavo.

O curso recomendado pelos Brasileirinhos é de um site chamado Estudos Nacionais. O site tem sete colunistas e conteúdos que tentam defender a extrema direita e, para isso, desmoralizam a imprensa.

Entre os colunistas, Cristian Derosa se descreve como “mestre de jornalismo” na UFSC e aluno do Seminário de Filosofia de Olavo de Carvalho. Marlon Derosa também é de Santa Catarina, descreve-se como “pesquisador independente na área de bioética, saúde pública, direitos humanos e geopolítica” e milita contra o aborto. O site também se declara contra a tal da “cristofobia”.

No mesmo período em que o canal Brasileirinhos recomendou esse curso, eles também começaram a divulgar um livro chamado “Não Tenhais Medo”, de Elton Mesquita. Livro que chegou no mesmo mês do jornal “Brasil Sem Medo”.

Coincidência?

A “guerra cultural” como álibi para ataques à imprensa

Em agosto do ano passado, quando ficou claro que o governo Bolsonaro promoveria um desmonte da cultura e em entidades como a Ancine, a Agência Pública postou uma reportagem sobre o “cinema olavista”. A publicação expõe que Olavo ganhou espaço em produções audiovisuais através de diretores como Josias Saraiva Monteiro Neto, conhecido como Josias Teófilo, que criou a Lavra Filmes, de Mauro Ventura Alves, sócio da Ivin Films, e da produtora gaúcha Brasil Paralelo, de Leandro Ruschel, economista que foi aluno do guru e irmão do produtor Bruno Ruschel.

Os filmes envolvendo o nome de Olavo de Carvalho incluem desde “Jardim das Aflições”, baseado em um livro do guru, “1964: O Brasil Entre Armas e Livros”, que faz revisionismo Da ditadura militar, até “Nem Tudo Se Desfaz”, que tenta conectar o bolsonarismo com os protestos de 2013.

O trabalho dessas empresas existe antes de Bolsonaro chegar ao poder. Além delas, o bolsonarista e também aluno de Olavo, Allan dos Santos, espalhou fake news logo em março de 2019 para atacar a jornalista Constança Rezende, autora do furo sobre as transações atípicas de Flávio Bolsonaro detectadas pelo Coaf no jornal O Estado de S.Paulo.

Na mentira difundida por Allan, ele repercute um texto distorcido de um francês chamado Jawad Rhalib em um blog opinativo afirmando que ela “atacou Flávio apenas para atingir o presidente e arruinar seu mandato”. No audio que aparece no material, Constança diz apenas que o caso afeta e pode abalar o governo.

Todos esses ataques se encaixam no conceito de “guerra cultural” difundido entre os comunicadores bolsonaristas, que chamam a imprensa comercial de “extrema imprensa”. Eles atacam a mídia pelas críticas e pelas denúncias envolvendo o governo Bolsonaro.

No entanto, parece que os bolsonaristas consideram que, para atacar a imprensa, Terça Livre com Allan dos Santos e obras audiovisuais de Olavo de Carvalho não são suficientes. O próprio Olavo, em 2002, chegou a ter um site chamado Mídia Sem Máscara e um podcast chamado True Outspeak.

Com Brasileirinhos, a comunicação relacionada ao guru do bolsonarismo muda de teor no segundo ano de governo Bolsonaro. Sobe o tom.

No dia 21 de dezembro, os Brasileirinhos inauguraram sua participação no jornal Brasil Sem Medo de Olavo de Carvalho com um podcast. O conteúdo é pago e fechado para assinantes, mas traz a seguinte descrição: “O famoso Agente Nogueira teve acesso aos áudios trocados entre Gatão e o Palhaço no Telegram e decidiu compilar toda a conversa em seus arquivos. The Nogueira Files, o novo podcast do Brasil Sem Medo, revela com exclusividade os diálogos privados dos Brasileirinhos”.

O conteúdo “humorístico” ataca o vazamento de informações, como ocorreu no caso da Vaza Jato, divulgando conversas entre Deltan Dallagnol e Sérgio Moro.

É o mesmo tipo de “brincadeira” de um canal de YouTube que defendeu o “empastelamento” da imprensa.

Censura? Coincidência? Parece que não.

É a guerra cultural defendida por Olavo de Carvalho em andamento.

Isso ocorreu na década de 30 do século passado e resultou na ascensão do nazismo.

Outro lado

O Diário do Centro do Mundo entrou em contato por telefone com André Barcelos Monteiro, um dos responsáveis pelo canal Brasileirinhos, segundo nossas fontes.

Não tivemos resposta até a publicação desta reportagem.

Espaço está aberto para manifestação dele e do jornal Brasil Sem Medo.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!