Relembre o caso que levou Flordelis para a cadeia

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), durante sessão da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara
Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Flordelis foi presa nesta sexta-feira (13) após perder o mandato de deputada federal. A pastora e cantora é acusada de ter sido a mandante do assassinato do ex-marido, Anderson do Carmo, em 16 de junho do ano passado, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

O caso chocou o país porque o pastor de 42 anos foi executado com diversos disparos no momento em que chegada em casa, em Pendotiba. Anderson foi socorrido no Hospital Niterói D’Or, mas não resistiu. A partir daí, a polícia começou a investigar o homicídio.

Em 18 de junho, Lucas dos Santos do Carmo, na época com 18 anos, assumiu ter sido um dos homens que participou da execução e que Flávio dos Santos, de 38 anos, enteado de Anderson, teria sido um dos mandantes. A causa do crime seria uma suposta traição de Anderson.

No depoimento, Lucas se contradisse e resolveu confessar o crime depois que policiais mostraram imagens de câmeras de segurança em que ele era visto na cena do crime. Flávio também confessou ter dado tiros no padrasto. Os dois estão presos, mas a polícia ainda investiga a motivação e outros detalhes do que teria ocasionado o homicídio. Além da traição, outra suspeita é que a motivação seria por questões financeiras.

Leia mais:

1 – Sem ninguém perguntar, Henrique Meirelles nega que será vice de Lula

2 – PCO chama ministros do STF de ‘sicofantas de toga’ e critica prisão de Jefferson

3 – Marina Silva ‘esquece’ apoio a Aécio Neves e diz que Bolsonaro é culpa de PT e PSDB

Flordelis denunciada pelo MP-RJ

Em 24 de agosto de 2020, o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou Flordelis pela morte de Anderson. Na mesma data, a Polícia Civil prendeu nove pessoas que estariam ligadas ao assassinato.

Flordelis seguiu livre e exercendo sua função de deputada federal, mas seu trabalho no Congresso Nacional foi interrompido na quarta (11). Parlamentares votaram em favor da cassação dela – com exceção de sete deputados – e ela perdeu o mandato.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!