Rogério Carvalho: “Prevent Senior tinha do governo autorização para matar”

Veja o Rogério Carvalho
Rogério Carvalho. Foto: Divulgação

O senador Rogério Carvalho, do PT do Sergipe, escreve sobre o depoimento da advogada Bruna Morato. Ela criticou pesadamente a Prevent Senior, rede de hospitais que defendeu o ‘tratamento precoce’. O depoimento dela envolveu até o ministério de Paulo Guedes.

LEIA MAIS:

1 – VÍDEO – Delfim Netto diz que Lula será eleito em 1º turno: “não tenho a menor dúvida”

2 – Exclusivo: Conheça o #InternetLivre, grupo de WhatsApp que gerou o gabinete do ódio

3 – A bravura de Bruna Morato. Por Moisés Mendes

O que diz Rogério Carvalho?

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) apresentou, durante a CPI da Covid desta terça-feira (28), uma série de evidências que comprovam que a operadora de saúde Prevent Senior atuou junto com o gabinete paralelo do governo Bolsonaro para viabilizar a prática da teoria da imunidade de rebanho na condução da pandemia no Brasil, o que levou milhares de brasileiros à morte. A empresa é acusada de adulterar atestados para mascarar dados de mortos pela Covid-19, de realizar testes em humanos, de receitar o tratamento precoce de forma indiscriminada e de retirar pacientes dos leitos de UTI por questões financeiras.

“O que foi feito no Brasil, na condução da pandemia, foi uma ação criminosa de diversos atores do começo até os dias de hoje. E o que nós vimos da Prevent Senior é que ela recebeu do governo autorização para matar”, afirmou.

Dentre os materiais levados à Comissão pelo parlamentar sergipano estavam vídeos e postagem de redes sociais com relatos de profissionais de saúde que atuaram na Prevent Senior, declarações de familiares e de vítimas da empresa e a declaração de um vice-presidente do Conselho Federal de Medicina recomendando o tratamento precoce.

“A Prevent Senior tinha proteção do Conselho Federal de Medicina, ela tinha proteção do Governo Federal, ela tinha proteção de vários órgãos e, portanto, tinha autorização para matar em nome do desenvolvimento, de uma fórmula milagrosa para garantir, que era preciso ter algo para apresentar para a sociedade para que a sociedade pudesse voltar ao trabalho”, prosseguiu.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente, enalteceu o material apresentado pelo senador sergipano.

“Essa CPI tem que lhe agradecer. Vossa Excelência acabou de apresentar a melhor compilação da descrição criminal”, disse.

Ao final da intervenção, o senador Rogério Carvalho defendeu que as provas apresentadas confirmaram o que a CPI vem investigando há quatro meses, ou seja, que o governo Bolsonaro atuou de forma intencional e continuada para expandir o vírus no país.