Ministros do STF escolhem entre Mendonça e Aras e fazem campanha

André Mendonça e Augusto Aras em tela dividida
Ministros do STF tentam aprovar Mendonça para barrar Aras. Foto: Wikimedia Commons

Os ministros do STF estão incomodados com o fato de que não houve escolha para a vaga aberta para corte. E, com o esfriamento da indicação de André Mendonça, podendo levar Aras para a vaga, alguns deles já fizeram sua escolha. Boa parte deles prefere o primeiro e não faz questão de esconder a preferência.

O DCM conversou com atores políticos do Senado e confirmou que alguns ministros conversaram com senadores. Aras traiu Mendonça e passou a fazer uma campanha velada para ser indicado por Bolsonaro ao STF e isso movimentou a corte.

Ao menos dois ministros, Fux e Barroso, decidiram ir a campo para defender o nome de Mendonça. Eles teriam conversado com alguns senadores tentando viabilizar a aprovação do nome indicado por Bolsonaro. O argumento é que ele é um nome mais alinhado ao atual Supremo que Aras.

Leia mais:

1 – Alessandro Vieira apresenta requerimento para Jair Renan ir presencialmente à CPI: “lei vale para todos”

2 – “Ameaça é crime”, diz Augusto Botelho sobre ataque de Jair Renan Bolsonaro contra CPI

3 – Luiza Trajano dá aula no curso de Boulos

Aras ou Mendonça

Nos bastidores, praticamente todo o Supremo torce por Mendonça. O argumento é que ele já deu provas de ser menos alinhado a Bolsonaro que Aras. Mais do que isso, os ministros do STF acreditam que ele terá independência e não subserviência.

Um exemplo dado é o nome de Kássio Nunes. O ministro ganhou a simpatia dos colegas por respeitar todas as liturgias. Mesmo com discordâncias pontuais, o ministro indicado por Bolsonaro se mostra defensor da Suprema Corte. A maioria não acredita que Aras tomaria esse posicionamento, já Mendonça, todos confiam.

Com esse apoio, segundo o DCM conversou com algumas pessoas, o nome de Mendonça volta a ganhar força. O indicado de Bolsonaro tem conquistado apoios importantes, além do próprio STF, os evangélicos. Atualmente, uma conta mais honesta sugere que restam 5 nomes para garantir a aprovação dele ao Supremo.