Tabata Amaral deveria ir para o PSDB, tem muito mais identidade ideológica. Por Luis F. Miguel

Tabata Amaral. Foto: Luis Macedo/Ag. Câmara

Publicado originalmente no Facebook do autor:

Por Luis Felipe Miguel

Tabata Amaral, depois de muito pensar, foi para o PSB.

Embora o caminho óbvio fosse o PSDB, com quem tem muito mais identidade ideológica.

É que o entrismo das plataformas de captura empresarial da política, das quais a deputada paulista é até agora o fruto mais reluzente, exige que tenham um pé em partidos que possam chamar de “progressistas”.

Leia também:

1. Tabata revela para Pedro Bial que se filiou a um novo partido 

2. Deputada precisa sair do armário ideológico em que se meteu

PDT não precisa ficar triste por perder Tabata Amaral

O PDT, por sua vez, não precisa ficar triste. Perde Tabata, mas pode ganhar Datena.

O vice de que Ciro precisa para que não pegue mais nele a injusta acusação de ser – como é mesmo que se diz? Ah: civilizado.

Luiza Trajano como vice de Lula

Enquanto isso, petistas veem, como vice ideal para Lula, a bilionária contrária aos direitos – aquela que celebremente comemorou a baixa popularidade do governo Temer como “grande chance de passar as reformas” trabalhista e previdenciária.

A que se esforça todo dia para demonstrar que não precisa de política social, muito menos de tributação sobre o capital – basta pedir a Deus um punhado de grandes patrões “bonzinhos”, que discursam pela igualdade racial e de gênero.

Luiza Trajano, dizem, seria a versão modernizada de José Alencar.

Talvez seja mesmo. O industrial mineiro encarnava a aposta da velha esquerda brasileira em uma aliança com a “burguesia produtiva nacional”.

Já a bilionária paulista sinaliza o triunfo do novo identitarismo neoliberal, em sua versão mais rasa.