Tereza Campello: “Brasil exporta o arroz que falta no prato do brasileiro”

Tereza Campello

Tereza Campello, economista e doutora em Saúde Pública pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), avaliou a atual quadro de insegurança alimentar que, em diferentes graus, atinge 121 milhões de brasileiros.

Tereza Campello aponta paradoxo

Em entrevista ao Extra Classe, a economista disse o seguinte:

“É um paradoxo nós sermos um grande produtor de alimentos e voltarmos à fome, mesmo expandindo a produção.

O Brasil aumenta os seus lucros com a exportação de arroz e falta arroz no prato dos brasileiros, tem o agronegócio com uma lucratividade esplendorosa e um desemprego gigantesco no país”.

Brasil e a fome

Ao ser questiona sobre o retorno do Brasil para o Mapa da Fome, ela respondeu:

A primeira grande questão que eu acho interessante tratar é que nós saímos do Mapa em 2014 e isso não foi para nenhuma manchete de jornal. Praticamente não foi abordado pela grande imprensa, jornais, televisões.

Nada, nada. Então o Brasil, um país marcado pela fome, realiza um feito histórico e silêncio absoluto. Infelizmente, agora, a fome volta para as manchetes dos grandes jornais, das TVs.

Uma tragédia e eu acho que a imprensa tem abordado o assunto – importante falar porque a situação é dramática e tem que ser enfrentada –, mas pecando por dois motivos.

O primeiro deles é que, em geral, se atribui o retorno do Brasil (ao Mapa da Fome) à tragédia do coronavírus. Isso está errado.

O Brasil já tinha voltado ao Mapa da Fome em 2017, 2018, no governo Temer, por conta do desmonte e da desorganização de um conjunto de políticas públicas.

O segundo erro, crasso, é tratar da fome e, ato contínuo, falar da filantropia, da solidariedade; fazer chamamentos para que a sociedade, a população, doe alimentos.

Leia mais 

1 – Aziz dá recado ao agora convocado Barros na CPI e diz que “convite é para quem a gente respeita”

2 – Ex-motorista, auxiliar de costura: o drama da fome que colocou caras novas na fila por comida