Como foi o acordo de Bolsonaro com o STF para evitar a prisão de Carlos

Bolsonaro e Fux no STF se olhando
Bolsonaro fez acordo para evitar a prisão de Carlos – Foto: Reprodução

Nos corredores de Brasília ainda repercute a carta à nação que Bolsonaro publicou fazendo as pazes com o STF. O que pouca gente sabe é o motivo real dessa carta. O DCM já mostrou em outras ocasiões que Temer convenceu o presidente porque o filho dele seria preso. Acontece que isso foi a ponta do iceberg no acordo que Bolsonaro tentou fazer com o Supremo.

Atores políticos explicaram ao DCM que o gesto do presidente foi um detalhe em uma promessa que ele fez. “Bolsonaro fez uma promessa para o STF a fim de evitar que Carlos fosse preso”, disse um assessor que prefere não ser identificado. Ele explicou que Temer já havia garantido que o 02 seria preso nos próximos dias e isso apavorou o pai.

Mas a carta não era suficiente para aplacar a fúria que o Supremo estava de Bolsonaro e dos filhos. Ao menos duas pessoas confirmaram que Carlos, o único sem imunidade, seria preso ainda em setembro. A decisão estava tomada e seria uma resposta aos ataques do presidente.

Leia mais:

1 – Toffoli arquiva mais uma ação e favorece Paulo Guedes sobre offshore

2 – Carla Zambelli diz que vai ao STF para depôr na CPI

3 – Zé Trovão no STF gera crise entre presidente e filhos

Bolsonaro fez promessas

Mesmo depois da carta, ele soube que a prisão do filho ainda estava no radar de Alexandre de Moraes. Mais que isso, o presidente sondou e soube que o STF apoiaria a decisão em sua maioria ampla de ministros. Foi aí que ele deu um passo em direção a um acordo.

Embora nem Alexandre de Moraes e nem Luis Fux quiseram receber Bolsonaro, ele deu uma missão a assessores. “O presidente fez chegar ao STF que, se Carlos não fosse preso, ele pararia de atacar as instituições”. A afirmação acabou balançando os ministros, que viram nisso uma chance de acalmar a república.

Não houve resposta de Moraes e nem do Supremo, mas o presidente virou ‘paz e amor’. Coincidência ou não, Carlos não foi preso em setembro. Mesmo assim, ainda há risco de cadeia e o próprio presidente sabe disso.