Negacionista, Bolsonaro reafirma que não se vacinou: “Deixa eu morrer”

Bolsonaro
Bolsonaro falou que não vai se vacinar

Nesta quinta (2), Bolsonaro voltou a dizer que não se vacinou contra a Covid-19. O presidente repetiu que a imunização não é obrigatória. E questionou a solicitação de autorização da Pfizer sobre vacinar crianças.

“Eu vejo – acompanho mídias sociais e o pessoal mostra para mim – muita gente de esquerda, em especial, querendo a minha morte. Se quer a minha morte, por que fica querendo exigir que eu tome a vacina? Deixa eu morrer, problema é meu, tá?”, falou o presidente na sua live.

Bolsonaro poderia ter se vacinado no dia 3 de abril, em Brasília, porque tem 66 anos. Ele voltou a ser negacionista. Disse que as vacinas são experimentais, o que é uma mentira. Também destacou que foi infectado pelo vírus e estaria imune. Outro fato inverídico.

Leia mais:

1 – Lula dá razão para Mano Brown: “O lugar do PT é na periferia”

2 – Médico é responsável por invadir sistema do SUS e fazer apologia ao nazismo em perfil de Átila

3 – Único candidato à vaga, Merval Pereira é eleito presidente da Academia Brasileira de Letras

Bolsonaro questiona Pfizer

A Pfizer pediu para a Anvisa autorização para vacinar crianças de 5 a 11 anos de idade. Bolsonaro voltou a criticar a empresa e realizou questionamentos. Mas uma prova que ele segue sendo negacionista.

“Não vou entrar em detalhes se Anvisa vai aprovar ou não, até porque não tenho qualquer ação diante da Anvisa. A Anvisa é independente, mas eu perguntaria para a Anvisa isso continua na bula da Pfizer ‘não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’?”, perguntou.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.