Charge: Na fila do osso. Por Lula Cabral

Veja a charge
Charge: Na fila do osso. Por Lula Cabral. Foto: Reprodução

Osso: Charge que mostra a miséria do povo brasileiro no governo Bolsonaro.

LEIA MAIS:

1 – Exclusivo: Dallagnol escreveu parte da delação de Barusco e incluiu PT por “fins políticos”

2 – EXCLUSIVO: Quem é e como opera o empresário que financia apoiadores de Ciro para atacar Lula

3 – Exclusivo: Conheça o #InternetLivre, grupo de WhatsApp que gerou o gabinete do ódio

Depois do pé de galinha e osso, mercado inova e passa a vender carcaça temperada

A alta dos preços da carne refletiu nos valores dos cortes de segunda e de terceira. Açougues relatam que carcaça temperada, pé de galinha e pescoço, entre outras partes de boi, vaca e porco, tiveram um aumento de procura e também encareceram.

Não há dados nacionais sobre esses cortes. Em São Paulo, o pescoço de frango teve elevação 15,79% no preço em setembro na comparação dos 12 meses, segundo a consultoria Safras e Mercados.

A carcaça temperada de frango subiu 45%, o dorso, 60%. Entre os suínos, a maior alta foi no espinhaço (23,91%), que é a “coluna” do porco, e na orelha (20%).

Quase 20 milhões de brasileiros passam fome. Eles declaram passar mais de 24 horas sem ter o que comer em alguns dias. 24,5 milhões não têm certeza se conseguirão se alimentar no dia a dia ou já reduziram a quantidade e qualidade do que comem. Outros 74 milhões estão inseguros com a possibilidade de passar fome.

Os dados são de levantamento da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan). A pesquisa ainda mostra que mais da metade da população (55%) sofria de algum tipo de insegurança alimentar em dezembro de 2020.  O estudo foi feito em 1.662 domicílios urbanos e 518 rurais, segundo a Folha.