EUA vão autorizar entrada de pessoas vacinadas com a CoronaVac

CoronaVac Estados Unidos
Pessoas imunizadas com as duas doses da CoronaVac vão poder entrar nos EUA

Pessoas que foram vacinadas com as duas doses da CoronaVac poderão entrar nos Estados Unidos a partir de novembro. A confirmação foi feita pelo governo dos Estados Unidos nesta sexta-feira (8). Além do imunizante da China, poderão ingressar no país norte-americano todas as vacinas aprovadas pela OMS. E também pela FDA, que é uma espécie de Anvisa nos EUA.

A CoronaVac é o imunizante da farmacêutica chinesa Sinovac. Desde o ano passado é produzido no Brasil pelo Instituto Butantan, que teve o uso emergencial autorizado pela OMS em junho.

Os Estados Unidos tinha suspendido todas as restrições de viagens internacionais para adultos estrangeiros totalmente vacinados contra a Covid-19 a partir do mês que vem. Porém, o governo americano não detalhou na época quais vacinas iriam entrar na lista.

As vacinas autorizadas pela OMS são as seguintes:

Pfizer/BioNTech

Moderna

Oxford/AstraZeneca — produzida no Brasil pela Fiocruz

Janssen (Johnson & Johnson)

SinoPharm

CoronaVac — produzida no Brasil pelo Instituto Butantan

Leia mais:

1 – VÍDEO: Queiroga compara mortes por Covid com doenças do coração e uso de máscaras com preservativos

2 – Bolsonaro diz que recebeu proposta para mudar indicado ao STF: “A gente resolve a CPI”

3 – Aliado de Trump usou Eduardo Bolsonaro e tentou forjar namoro ao ser barrado pela PF em aeroporto no 7 de setembro

Doria quis saber se vacinados pela CoronaVac no Brasil iriam poder entrar nos EUA

No mês passado, João Doria (PSDB), governador de SP, procurou cônsul dos EUA em São Paulo, David Hodge. O objetivo do chefe do executivo paulista era saber sobre a CoronaVac no país norte-americano.

Doria fez questão de mandar uma mensagem para Hodge. Ele queria descobrir se a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, faria parte da lista de vacinas aceitas.

Na ocasião, o presidenciável não recebeu nenhuma informação do cônsul, porque David não quis se antecipar. O norte-americano havia dito que o governo americano daria mais detalhes em breve. O que acabou ocorrendo nesta sexta.