Eduardo Bolsonaro volta a afrontar STF e clã silencia sobre Sergio Reis e Otoni de Paula

Atualizado em 20 de agosto de 2021 às 10:51
Eduardo Bolsonaro ameaça o STF
Eduardo Bolsonaro como “playboy riquinho”

Eduardo Bolsonaro voltou a afrontar o STF, ainda que sua reação tenha sido tímida após a operação de busca e apreensão da PF contra seus aliados Sergio Reis e Otoni de Paula.

Usou o programa do bolsonarista Lacombe para detonar as instituições.

LEIA Também: 

1. Eduardo Bolsonaro tem pedido de indenização contra blogueira negado na Justiça

2. PF faz operação contra Sérgio Reis e deputado bolsonarista

3. Por que o Brasil deve celebrar a firmeza e a coragem do senador Omar Aziz

Segundo ele, vai chegar uma hora em que as decisões do STF “não serão mais cumpridas”.

Continuou:

“Prendem por fake news. Prendem por atos antidemocráticos. O que é um ato antidemocrático? Prendem por milícia virtual. Vai chegar uma hora em que essas ordens da mais alta Corte do judiciário nacional não vão ser cumpridas, infelizmente. Se continuar desse jeito…”.

Também afirmou que “não tem mais corda para esticar”, em referência à crise institucional entre o Poder Executivo e Judiciário.

“Ele [Jair Bolsonaro] tenta sempre agir dentro das quatro linhas da Constituição. Mas, ao que parece, não tem mais corda para você esticar. Qual seria o próximo passo? Prender o presidente? Prender um dos filhos? A gente não tem medo de prisão. Agora, fazer isso, sem ter motivo?”.

Sobre Sergio Reis e Otoni de Paula, o clã reagiu de forma tímida.

Carlos Bolsonaro silenciou, assim como Flávio.

Bolsonaro fez discurso falando em liberdade, criticando indiretamente os ministros do STF, mas sem entrar no detalhe sobre Sergio Reis e Otoni.

 

Um soldado e um cabo para fechar o Supremo

Apenas lembrando: Eduardo é aquele que defendeu o AI-5 e disse que bastaria mandar “um soldado e um cabo” para fechar o Supremo.