Folha estimula linchamento do presidente da Argentina na internet com enquete que nunca fez com Bolsonaro

Jornal Folha de S.Paulo. Foto: Reprodução/YouTube

O presidente argentino Alberto Fernández, nessa quarta-feira (9), tentando demonstrar-se amigo da Espanha, falou uma frase racista sobre a origem de mexicanos, argentinos e brasileiros.

Como convém aos homens públicos civilizados, após a repercussão negativa, pediu desculpas em seu perfil oficial de Twitter. Veja abaixo:

É declaração pegou mal por aqui, naturalmente. Os argentinos são os “inimigos” preferênciais dos brasileiros no continente, principalmente por conta de questões futebolísticas.

O que não pode e nem deve ser considerado natural é que um órgão de imprensa que se gaba de ter insculpido dentre seus princípios editoriais a “promoção dos valores do conhecimento, da solução pacífica dos conflitos, da livre-iniciativa, da equalização de oportunidades, da democracia representativa, dos direitos humanos e da evolução dos costumes” estimular o linchamento de alguém por seus leitores.

A Folha de S.Paulo fez isso.

O mesmo jornal que recusou-se a chamar Bolsonaro de candidato de extrema-direita em 2018, chamou o regime militar brasileiro de ditabranda, que denomina Nicolás Maduro como ditador mas chama Alberto Fujimori de ‘autocrata’, pediu a seus leitores que respondam ao presidente argentino.

Ao perguntar “Que resposta você daria a Fernández?”, certamente o jornal não espera a condescendência ou a empatia dos seus leitores com o argentino. Fariam o mesmo se fosse com Macri, aliado das pautas econômicas do jornal?  O convite à pancadaria estava exposto na capa da home page do jornal na noite dessa quarta-feira (9).

 

Veja um pouco do chorume de lá:

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!