Ao fugir de entrevista, Mario Frias cumpre bem seu papel de bolsonarista. Por Nathalí

Bolsonaro-cultura-vacina
Bolsonaro e Frias

A jornalista Nathalí Macedo, do DCM, escreve sobre o secretário de Cultura, Mario Frias. E fala sobre sua fuga da entrevista, cumprindo papel de bolsonarista.

Leia mais:

1 – VÍDEO: Homem joga moeda para Moro e o chama de traidor em evento do Podemos

3 – Wagner Moura estará em exibição de Marighella na ocupação do MTST

Mario Frias foge

Seguindo o exemplo do presidente a quem serve, o Secretário de Cultura do Governo Bolsonaro não cansa de dar provas de sua completa desqualificação para o cargo que ocupa.

Após ser chamado de negacionista ao vivo na Rádio Gaúcha, Mario Frias abandonou a entrevista bradando: “Negacionista é a mãe!”

Fazendo nada mais do que o seu papel enquanto imprensa (supostamente) livre, o jornalista David Coimbra havia confrontado as declarações anti-vacina do secretário. “O senhor é um negacionista. A pandemia está voltando por causa de pessoas como o senhor”.

Mario Frias, tal qual um filhinho da mamãe que, mesmo na casa dos quarenta, não tem peito pra rebater críticas sem sair correndo, simplesmente abandonou a entrevista com um constrangido “se vocês quiserem, vocês vêm aqui e conversam comigo pessoalmente. Tchau, gente”.

Mais um papelão pra conta.

E já que nunca se dedicou a estudar administração pública (nem interpretação, nem ciência política, nem “O mínimo para não ser um idiota”, de Olavão, nem coisa nenhuma), o secretário certamente não está inteirado do conceito de negacionismo – acaso estivesse, saberia que poucos adjetivos se adequam tão bem a ele e ao governo que integra.

Questionar “qual é a garantia de que quem toma vacina não passa o vírus?”, como você fez na mesma entrevista da qual saiu acuado: isso é negacionismo, Secretário. (Dizem que perguntar não ofende, mas nesse caso ofende sim). Vetar a exigência de comprovante de vacinação contra COVID 19 em projetos financiados pela Lei Rouanet é negacionismo também – na verdade, me surpreende é que não tenham ainda vetado a própria Lei Rouanet, que tanto detestam. Se recusar a tomar vacina, mesmo sabendo que se trata de um pacto coletivo de saúde, é negacionismo. Questionar o uso de máscara e votar em Bolsonaro, também. (E aí, gabaritou?)

Não contente, Mario Frias chamou a exigência de comprovante de vacinação de “autoritária e discriminatória”. Imagina você integrar o governo de Jair Bolsonaro (sem partido), literalmente um congratulador de torturadores, e ter a pachorra de chamar qualquer coisa de “autoritária e discriminatória”?

Ele declarou não ter se vacinado porque teve um enfarte e tem receio. Nota: não há comprovação (ou mesmo boatos) de que a vacina contra COVID é contra-indicada pra quem já infartou.

É isso que acontece quando, no que parece ser o mundo invertido de Stranger Thinks, um ex-galã de malhação vira secretário de cultura e de repente pode tomar decisões que decidem o rumo de um país inteiro: eventualmente ele precisa fugir de entrevistas enquanto é massacrado e chamado de ignorante.

Porque você pode até, tendo a sorte (ou o infortúnio?) de ser o melhor que um presidente fascista e decadente pode conseguir para ocupar a secretaria de cultura, ter poder nas mãos por algum tempo e usá-lo da pior maneira possível. Mas você não pode, evidentemente, fazer isso sem nenhuma oposição, sobretudo se você for, a olhos vistos, negacionista e ignorante.

O enfrentamento ao negacionismo é (também) uma tarefa da imprensa, e David Coimbra, da rádio Gaúcha, fez muito bem o seu trabalho – ao contrário da assessoria de imprensa de Mario Frias, que não conferiu a tempo se o entrevistador era tão ignorante quanto o entrevistado – fica aí a dica pra evitar constrangimentos da próxima vez.

E uma coisa é mesmo fato: ninguém pode mais dizer que o currículo de Mario Frias é pobre. Além de Malhação e Os Mutantes, agora ele pode incluir “especialista em fugir de entrevistas, com ênfase no método Bolsonaro.” Lattes que eu tô passando.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link