Ministro de Bolsonaro acusa empresários do agronegócio de incentivar greve dos caminhoneiros

ministro de Bolsonaro infraestrutura
Bolsonaro ao lado do ministro Tarcísio de Freitas

O ministro de Bolsonaro, Tarcísio Gomes de Freitas, acusou empresários do agronegócio e de transportes de inflar uma quase greve dos caminhoneiros. O responsável da pasta de Infraestrutura declarou que a ameaça dos motoristas de parar as estradas brasileiras no mês passado teve incentivo de ricos.

Em entrevista ao O Globo, Gomes relatou que sua equipe acompanhou mais de 40 grupos de Whats. E identificou que poderosos queriam que as estradas brasileiras fossem paralisadas.

“Não foi um movimento de caminhoneiros, mas político. Tinha outros agentes usando caminhão, como empresários de transporte e do agronegócio”, declarou o ministro para Malu Gaspar.

Na ocasião, Tarcísio precisou gravar vídeos pedindo que os motoristas suspendessem a paralisação. Bolsonaro também foi acionado e gravou áudios aos caminhoneiros para que a greve fosse interrompida.

Leia mais:

1 – Presidente interina do PTB teria fingido ser pastora para visitar Roberto Jefferson na cadeia, diz filha

2 – BolsoDoria de novo? Doria quer voto em papel nas prévias do PSDB

3 – E o PT? Guedes culpa Dilma ao falar de offshore em paraíso fiscal

Ministro de Bolsonaro no Senado

Tarcísio de Freitas deve concorrer ao cargo de senador por São Paulo. A decisão partiu do presidente Jair Bolsonaro. Ele acredita que o ministro Infraestrutura tenha o perfil que o paulista gosta. Por isso trabalhará para que o aliado consiga uma vaga no Congresso.

Conforme apurou o DCM, o presidente acredita que conseguirá eleger senadores em Minas Gerais e Rio de Janeiro na região Sudeste. E que brigará por uma cadeira no estado de São Paulo. “Ele está focando no Senado para 2022. Quer transformar a Casa num puxadinho”, disse uma fonte.

Tarcísio de Freitas foi escolhido por conta do seu perfil. Discreto, tem uma visão técnica quando o assunto é gestão. Sua falta de carisma também não é vista como empecilho. “Bolsonaro sempre lembra que Alckmin foi eleito várias vezes governador. E é favorito para próxima eleição. O paulista gosta de quem passa credibilidade e não de gente carismática”, explicou um parlamentar.