Ômicron: Reunião de emergência do G7 é convocada pelo Reino Unido

Imagens de microscópio mostram partículas do coronavírus que causam a Covid-19 retiradas de um paciente nos EUA
Imagens de microscópio mostram partículas do coronavírus que causam a Covid-19 retiradas de um paciente nos EUA; — Foto: NIAID-RML via AP

O governo do Reino Unido, à frente da presidência rotativa do G7, anunciou neste domingo (28) uma “reunião de emergência” com seus ministros da Saúde para tratar da questão da variante Ômicron do coronavírus.

“Uma reunião de emergência dos ministros da saúde do G7 será convocada para segunda-feira, 29 de novembro, para discutir os desenvolvimentos sobre a Ômicron”, disse o Departamento de Saúde do Reino Unido em um comunicado, depois que vários casos foram relatados na Europa.

Com mais de cinco milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia em 2019, a OMS considerou a nova variante, detectada essa semana, como “preocupante”.

Leia também:

1; Saúde investiga se caso de Covid em brasileiro que veio da África do Sul é da nova variante

2; Surto de sarna pode ser reflexo do uso indiscriminado da ivermectina, diz estudo

3; Ministros do TCU querem vetar nomeações de indicados com ficha-suja

Ômicron é mais poderosa que variante Delta

Um grupo de especialistas da OMS afirma que, com os dados preliminares, a Ômicron apresenta “um risco alto de reinfecção”. A variante apresenta muito mais mutações que a cepa delta, segundo uma primeira “imagem” tridimensional, realizada e publicada pelo hospital Bambino Gesù de Roma.

“Isso não quer dizer automaticamente que essas mutações são mais perigosas, diz simplesmente que o vírus se adaptou mais uma vez à espécie humana gerando outra variante”, informaram os pesquisadores. “Outros estudos nos dirão se essa adaptação é neutra, menos ou mais perigosa”.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link