Pacheco defende Alcolumbre sobre sabatina de Mendonça: “Plena confiança”

Pacheco
Pacheco defendeu Alcolumbre

Rodrigo Pacheco (DEM) comentou nesta quarta (13) sobre a demora para Alcolumbre pautar a sabatina de André Mendonça. O presidente do Senado afirmou que tem “confiança” no presidente da Comissão de Constituição e Justiça. O ex-advogado-geral da União foi indicado para ser ministro do STF.

“Tenho plena confiança na capacidade, sabedoria e no exercício pleno das prerrogativas do presidente Davi Alcolumbre”, afirmou o responsável pela casa.

Ele explicou que a solução acontecerá “dentro da normalidade regimental e constitucional. “Acredito plenamente que possa ser resolvido na CCJ e acredito muito na solução deste impasse já nas próximas semanas”, acrescentou.

“Eu tenho um diálogo permanente com o presidente Davi Alcolumbre. Espero que haja um parecer da CCJ sobre a sabatina”, destacou.

Leia mais:

1 – Por ordem do STF, Allan dos Santos tem Twitter, Instagram e canais no YouTube bloqueados

2 – Douglas Souza desabafa sobre “assumir” sexualidade: ‘Héteros não se assumem”

3 – Essencial do DCM: O dedo de João Santana no piro de Ciro; nos EUA, Guedes diz que Brasil vive “redução da pobreza”

Pacheco se posicionou após comunicado de Alcolumbre

Alcolumbre não tem a menor pressa em colocar em pauta a sabatina de André Mendonça. E tem sido pressionado, principalmente por lideranças evangélicas que querem o ex-advogado-geral da União no Supremo. Por causa disso, o senador divulgou um comunicado sobre o assunto.

“Agridem minha religião, acusam-me de intolerância religiosa, atacam minha família, acusam-me de interesses pessoais fantasiosos. Querem transformar a legítima autonomia do presidente da CCJ em ato político e guerra religiosa”, afirmou.

“Reafirmo que não aceitarei ser ameaçado, intimidado, perseguido ou chantageado com o aval ou a participação de quem quer que seja”, acrescentou.

Ainda citou o STF. “A mais alta Corte do país ratificou a autonomia do Senado Federal para definição de pauta”. E completou: “Jamais condicionei ou subordinei o exercício do mandato a qualquer troca de favores políticos com quem quer que seja”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!