Secretário que foi a Israel atrás de spray nasal contra Covid-19 será interino de Marcos Pontes

Publicado no Capital Digital

Comitiva de Bolsonaro em Israel
Marcelo Morales com a comitiva de Bolsonaro em Israel

Por Luiz Queiroz

Enquanto o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações vive a sua maior crise financeira, o astronauta Marcos Pontes, que irá passar 12 dias estafantes em Dubai com uma comitiva de 23 aspones, nomeou hoje (14), o médico Marcelo Marcos Morales para o cargo de “ministro interino”.

Morales é secretário de Pesquisa e Formação Científica e protagonizou dois momentos constrangedores para a Ciência brasileira: viajou para Israel na comitiva bolsonarista que foi confirmar a eficácia de um spray nasal contra a Covid-19 e participou sorridente de uma live do presidente Bolsonaro em que criticava o lockdown.

A viagem para Israel deu em nada e custou R$ 88 mil aos cofres públicos. A comitiva era formada pelo então secretário especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten; o assessor especial da Presidência Filipe Martins; os deputados Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Hélio Lopes (PSL-RJ); o embaixador Kenneth Félix Haczynski da Nóbrega; o secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto; e o secretário de Políticas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Marcelo Marcos Morales.

Lockdown

Marcelo Morales também participou em março deste ano de uma das “lives” de quinta-feira mais constrangedoras do presidente Jair Bolsonaro. Justo a que o presidente negava a eficácia do lockdown e usou uma suposta carta de um comerciante de Salvador (BA), que teria cometido suicídio por estar inconformado com a situação. Na época o Brasil computou 2.233 mortos por Covid-19/dia.

Marcelo Morales em live com Jair Bolsonaro
Bolsonaro e o médico Marcelo Morales, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações

Marcelo Morales é formado em Medicina pela Universidade de São Paulo, tem doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela UFRJ e é pesquisador na área de Biofísica e Fisiologia. Também é membro Titular da Academia Nacional de Medicina e da Academia Nacional de Farmácia. É considerado em tom de piada, como a “única cota científica” no asponário que Marcos Pontes importou quando assumiu o MCTI.

Sua interinidade não passará em branco. Ele já está convidado para participar de um evento nesta sexta-feira (15), promovido pela SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Entidade que parece não se cansar de passar a mão na cabecinha grisalha de Marcos Pontes e do MCTI, mesmo tendo perdido verbas para a pesquisa científica.

O alvo é sempre o mesmo: o ministro Paulo Guedes, da Economia, enquanto Marcos Pontes, que nunca brigou pelos recursos do FNDCT sairá mais uma vez ileso. Pontes só se preocupou uma única vez com a questão financeira. Foi quando o MCTI retirou no Congresso R$ 400 milhões dos recursos para ações de combate à Covid-19, para favorecer o pagamento de empresas com contratos na Finep.

x.x.x.x

Leia também:

1 – Após romper com o governo, PSDB aumenta adesão ao governo em votações na Câmara

2 – Com corda no pescoço, Guedes dá sugestão bizarra para Petrobras

3 – Alcolumbre quer adiar sabatina de Mendonça e inviabilizar indicação

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!